Ao economizar 40 mil reais para investir, é comum ter dúvidas de onde alocar o dinheiro para fazê-lo se multiplicar. Algumas pessoas se interessam pelo empreendedorismo, com a intenção de começar um negócio. Entretanto, essa opção requer uma estrutura mais complexa e muito trabalho.

Já os investimentos no mercado financeiro são formas de fazer o seu dinheiro trabalhar para você, sem tanto esforço. Inclusive, investir os 40 mil reais e realizar aportes frequentes pode permitir acumular um patrimônio que gere renda passiva no futuro.

Gostou dessa vantagem? Então continue a leitura e confira 11 alternativas em que você pode investir o seu dinheiro!

O que é preciso saber antes de investir 40 mil reais?

Antes de conferir onde investir 40 mil reais, é importante saber fatores que ajudam a escolher as alternativas que mais se encaixam em sua estratégia.

Veja!

Perfil de investidor

O perfil de investidor mensura a sua tolerância aos riscos. Ele é definido por meio de um teste que pode resultar em um dos seguintes perfis:

  • conservador: apresenta baixa tolerância aos riscos, preferindo investimentos mais seguros;
  • moderado: também prioriza a segurança, mas aceita arriscar um pouco mais em prol de uma rentabilidade maior;
  • arrojado: busca por rendimentos mais altos, aceitando correr maiores riscos de forma calculada.

Vale saber que o perfil de investidor não é engessado e pode se alterar ao longo do tempo. Por exemplo, é comum que os investidores passem a aceitar maiores riscos conforme a sua experiência no mercado financeiro.

Objetivos financeiros

Além do perfil de investidor, é necessário definir os seus objetivos financeiros com os 40 mil reais. Assim, você pode determinar os investimentos que melhor se alinham a cada necessidade.

Por exemplo, se a sua intenção é ter uma reserva para cobrir gastos inesperados, é essencial que a alternativa tenha alta liquidez. Ou seja, é preciso que o seu dinheiro possa ser resgatado a qualquer momento. Caso contrário, você pode ter dificuldades para sacar o valor ou ter perdas financeiras.

No entanto, se a sua intenção é investir para comprar um apartamento em 10 anos, existem alternativas que oferecem potencial de rentabilidade maior no longo prazo. Dessa maneira, o objetivo permite priorizar o rendimento em vez da liquidez.

Reserva de emergência

Como você viu, um objetivo financeiro pode ser a formação de uma reserva de emergência, que é o montante utilizado para custear imprevistos. Nesse sentido, saiba que essa quantia é imprescindível para qualquer investidor, pois ela ajuda a proteger os seus investimentos.

Sem a reserva financeira, quando ocorre um gasto inesperado, você pode ter que recorrer a empréstimos ou aos seus investimentos de longo prazo. No primeiro caso, você faz uma dívida, pagando juros desnecessariamente.

Na segunda opção, você pode ter prejuízo financeiro. Afinal, retirar o capital antes do planejado traz possibilidade de resgatar uma quantia menor do que a investida. Portanto, antes de pensar em investir com outros objetivos, forme a sua reserva de emergência.

O valor da reserva financeira deve ser de, no mínimo, 6 meses do seu custo de vida atual. Caso você se sinta mais tranquilo com uma folga financeira maior, pode aumentar essa quantia.

Diversificação da carteira

A diversificação da carteira é uma estratégia cujo objetivo é diluir os riscos. Ela consiste em investir em diferentes alternativas e veículos financeiros com riscos variados. Dessa maneira, se um investimento obtiver resultado negativo, outro ativo com retorno positivo pode equilibrar o portfólio.

Por exemplo: imagine que você tem ações de empresas nacionais e internacionais. Se há uma crise interna que afeta as companhias brasileiras, seus papéis estrangeiros podem não ser impactados. Logo, eles podem ajudar a proteger a sua carteira de prejuízos maiores.

Conhecimento

Outro ponto que você deve saber antes de investir 40 mil reais é a necessidade de estudar sobre o mercado financeiro e as alternativas disponíveis. Conhecendo o tema, você abre o seu campo de visão e enxerga as oportunidades que cada um dos investimentos oferece.

Por isso, é imprescindível estudar frequentemente. O mercado é dinâmico, sendo preciso se manter atualizado com os acontecimentos para tomar as melhores decisões possíveis.

11 Alternativas de investimentos para investir 40 mil reais

Entendendo os fatores importantes para investir 40 mil reais, é o momento de descobrir 11 entre as alternativas disponíveis no mercado financeiro. Confira as oportunidades!

Renda fixa

A renda fixa é a classe de Investimentos em que o investidor sabe a forma de remuneração do investimento no momento da aplicação. Por esse motivo, as alternativas que pertencem a esse grupo são consideradas mais seguras. Veja as principais aplicações!

1. Títulos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa desenvolvido pelo Governo Federal para ampliar o acesso dos investidores aos títulos públicos. Vale saber que os títulos do Tesouro Direto são considerados os mais seguros do mercado financeiro, por terem a garantia do Tesouro Nacional.

Por meio dele é possível encontrar os 3 tipos de aplicações emitidas pelo Governo:

  • Tesouro Prefixado: a rentabilidade apresenta uma taxa de juros fixa ao ano. Portanto, é possível calcular o rendimento total ainda no momento da aplicação;
  • Tesouro Selic: a rentabilidade é pós-fixada, atrelada à Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira. Dessa forma, o rendimento só é conhecido no momento do resgate.
  • Tesouro IPCA+: a rentabilidade apresenta uma taxa fixa somada ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — indicador que mede a inflação da economia brasileira.

Os títulos públicos funcionam como um empréstimo para o Governo Federal. Desse modo, ao comprar um título, você empresta dinheiro para a União financiar as suas atividades, como infraestrutura, saúde, educação etc.

Em troca, você recebe os juros combinados no momento da aplicação. Além disso, os títulos públicos têm liquidez diária, permitindo resgate antes do vencimento. No entanto, a rentabilidade combinada no Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA+ só é garantida no vencimento.

Para resgate antecipado, esses títulos sofrem a marcação a mercado. Isso significa que o Governo recompra o título com preço praticado no momento do resgate. Logo, se a aplicação estiver com preço menor do que quando você comprou, haverá perdas financeiras.

No caso do Tesouro Selic, é possível resgatar o capital antes do prazo, sem prejuízo. Isso porque o rendimento desse título é creditado diariamente e você recebe os juros apurados até a retirada do capital.

2. CDBs

Os certificados de depósito bancário (CDBs) são títulos privados emitidos por instituições financeiras. Nesse caso, o dinheiro captado é utilizado pelos bancos para custear os seus projetos. Por exemplo, oferecer produtos financeiros aos clientes, quitar dívidas e investir no próprio crescimento.

Os CDBs do mercado financeiro também se diferenciam pela rentabilidade, que pode ser:

  • prefixada: há uma taxa fixa anual, como 5% ao ano, 7% ao ano etc.;
  • pós-fixada: segue um índice de mercado, geralmente, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI);
  • híbrida: é a junção das duas rentabilidades anteriores. Normalmente, ela apresenta uma taxa fixa e acompanha o IPCA.

Os bancos têm liberdade para emitir CDBs com características diferenciadas. Portanto, são as instituições que determinam o vencimento, a carência, a rentabilidade e a liquidez de cada título. Por esse motivo, antes de investir em CDB, é importante conferir as peculiaridades da aplicação.

Em relação à segurança, os certificados de depósito bancário apresentam cobertura do Fundo Garantidor de Créditos, o FGC. Dessa forma, se a instituição emissora falir ou não puder pagar o investimento por outro motivo, o fundo indeniza o investidor observando os limites de cobertura.

3. LCIs e LCAs

As letras de crédito imobiliário (LCIs) e as letras de crédito do agronegócio (LCAs) também são títulos privados emitidos por instituições financeiras. Eles funcionam de modo semelhante aos CDBs. No entanto, o destino do dinheiro captado é restrito aos setores de imóveis e da agropecuária.

Com os recursos levantados pelas LCIs, os bancos podem financiar a compra, reforma ou construção de imóveis para pessoas físicas ou jurídicas. Já com o capital arrecadado pelas LCAs, eles podem financiar projetos relacionados ao campo, como a compra de maquinário agrícola.

No que se refere às características das aplicações, elas também variam conforme o desejo das instituições financeiras. Além disso, um diferencial das LCIs e LCAs é a isenção de Imposto de Renda para pessoas físicas.

4. CRIs e CRAs

Os certificados de recebíveis imobiliários (CRIs) e os certificados de recebíveis do agronegócio (CRAs) são títulos de crédito privado emitidos por securitizadoras. Eles também funcionam como um empréstimo do investidor para a instituição.

O dinheiro levantado com a venda dos títulos é utilizado pela entidade para antecipar os recebíveis de empresas dos setores imobiliário e do agronegócio. Assim, a securitizadora pode, por exemplo, adiantar para a construtora o pagamento da venda de um imóvel financiado.

Sobre as características, é interessante pontuar que a liquidez desses títulos é baixa. Já a rentabilidade pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida. Ainda, há isenção de IR para pessoas físicas.

Ademais, os CRIS e os CRAS não apresentam a cobertura do FGC. Por esse motivo, os riscos de crédito são maiores. Entretanto, para compensar, as securitizadoras costumam oferecer rendimentos mais altos em comparação com outros títulos.

5. Debêntures

As debêntures são mais um exemplo de título de crédito privado, sendo emitidas por empresas. Desse modo, as organizações captam o dinheiro para utilizar em seus projetos — como investir na sua expansão ou trocar uma dívida por outra com juros menores.

Como os demais, esses títulos podem apresentar rentabilidade prefixada, pós-fixada ou híbrida. Nesse caso, as empresas podem definir regras diferentes para o pagamento aos investidores. Nas debêntures conversíveis, por exemplo, a organização oferece ações como remuneração.

Por fim, é saiba que as debêntures costumam ter baixa liquidez e não contam com a proteção do FGC. Desse modo, você deve ficar atento aos riscos e ao prazo do investimento para decidir se investe ou não nessas aplicações.

Renda variável

Agora que você já conhece os títulos de renda fixa, vale a pena conhecer os investimentos de renda variável. Nessa classe, não há como saber a forma de remuneração no momento do aporte e também não há garantia de rendimentos. Contudo, o potencial de ganhos pode ser maior.

Conheça as alternativas!

6. Ações

As ações são a menor parte do capital social de uma empresa. Assim, quem compra um papel se torna sócio da companhia. Logo, o investidor adquire o direito de participar dos resultados e dos riscos do negócio.

Entre as possibilidades de obter ganhos com ações, está a valorização dos papéis. Ela pode ocorrer quando a empresa tem resultados positivos e o mercado se mostra otimista em relação ao futuro do negócio, por exemplo.

Outra maneira de ter retorno com as ações é por meio da distribuição de proventos, que são benefícios aos acionistas. Entre os principais proventos estão os dividendos. Eles devem ser distribuídos, pelo menos, anualmente, caso a empresa tenha gerado lucro.

7. FIIs

Os fundos de investimentos imobiliários (FIIs) são veículos de investimento formados pelo capital de diversos investidores. Assim, eles funcionam como uma espécie de condomínio no qual um gestor profissional realiza as alocações de recursos conforme a política do fundo.

Nesse caso, os fundos podem investir em imóveis físicos (fundos de tijolos), em títulos ligados ao setor imobiliário (fundos de papel) ou em fundos de outros fundos imobiliários (FOFs). Então os FIIs são uma maneira mais prática de se expor a esse segmento da economia.

Para participar do fundo, é necessário comprar uma ou mais cotas na bolsa. Com isso, você pode participar dos resultados do FII. Nesse tipo de investimento, os ganhos podem ser obtidos por meio da valorização das cotas e pela distribuição de dividendos.

Nesse contexto, vale destacar que a distribuição de dividendos nos FIIs é obrigatória. Os fundos precisam repassar semestralmente, pelo menos, 95% dos lucros aos cotistas. Porém, alguns veículos fazem a distribuição mais frequente — como mensalmente.

8. ETFs

Os exchange traded funds (ETFs), ou fundos de índice, também são tipo de veículo financeiro coletivo. O diferencial é que a estratégia de investimento de um ETF é replicar a carteira teórica de um índice de referência do mercado.

Para isso, o gestor aloca os recursos do fundo nas mesmas alternativas e em proporções semelhantes ao portfólio do indexador. Por exemplo, um ETF que espelha o Ibovespa investirá nas ações das empresas mais negociadas na bolsa de valores brasileira (B3).

Com isso, o objetivo é alcançar resultados parecidos com os do indicador. Porém, vale saber que, mesmo quando investem em ações ou fundos imobiliários, os ETFs brasileiros não distribuem dividendos.

Quando os ativos do portfólio distribuem esses lucros, o gestor reinveste o dinheiro. Assim, o retorno pode ampliar o patrimônio do ETF. Dessa maneira, o cotista pode obter rendimentos ao vender a cota por um preço maior do que comprou, caso ela se valorize.

9. BDRs

Os brazilian depositary receipts (BDRs), ou certificados de depósito de valores mobiliários, em português, são ativos emitidos no Brasil e lastreados em investimentos internacionais. Assim, ao comprar um BDR você expõe a sua carteira ao mercado externo, sem sair da B3.

Os BDRs podem ter lastro em ações, títulos de dívidas, ETFs e outras alternativas. Por esse motivo, a sua forma de rentabilidade e os riscos dependem dos investimentos que eles representam.

Carteiras recomendadas

Além de entender as alternativas de renda fixa e renda variável, é interessante conhecer as carteiras recomendadas. Elas são portfólios elaborados por analistas do mercado financeiro. Com isso, você pode ter acesso a uma cesta de investimentos diversificada montada por profissionais.

Saiba mais!

10. Carteira recomendada de ações

A carteira recomendada de ações é uma sugestão de portfólio de ações consideradas promissoras por conta de valorização, distribuição de dividendos ou outros critérios pré-definidos.

Para chegar à formação de uma cesta de ações adequada, os profissionais analisam os fundamentos da companhia e os dados do mercado financeiro. É importante destacar que, nessa opção, as formas de obter ganhos e os riscos são inerentes aos das ações.

11. Carteira recomendada de FIIs

A carteira recomendada de fundos imobiliários é uma recomendação de uma cesta de cotas de diferentes FIIs elaborada por profissionais do mercado financeiro. Dessa maneira, ao replicar esse portfólio, você se expõe a esses veículos financeiros escolhidos criteriosamente.

Do mesmo modo como acontece na carteira recomendada de ações, as possibilidades de ganhos e os riscos de uma carteira de FIIs são atrelados aos fundos imobiliários.

Como investir 40 mil reais no mercado?

Após conhecer 11 alternativas para investir 40 mil reais, é essencial saber como realizar esses investimentos. Primeiramente, você deve abrir conta em uma corretora de valores, como a Genial, para ter acesso à plataforma de investimentos.

Nesse ambiente, você pode observar uma variedade de alternativas, tanto de renda fixa quanto de renda variável. Além disso, é possível conhecer as carteiras recomendadas elaboradas pelos melhores profissionais do mercado financeiro.

Após estudar os investimentos disponíveis, é o momento de investir o seu dinheiro. Não se esqueça de considerar o perfil de investidor, objetivos financeiros e a diversificação da carteira na hora de escolher onde investir.

Ademais, além de investir os 40 mil reais, é imprescindível manter aportes frequentes. Desse modo, você acelera a construção do seu patrimônio e, consequentemente, pode alcançar os seus objetivos mais rapidamente.

Neste post, você conheceu 11 alternativas para investir 40 mil reais e aprendeu dicas para realizar os seus investimentos. Agora, você tem informações relevantes que podem ajudar a elaborar a melhor estratégia para atender às suas expectativas.

Quer começar a investir? Acesse o site e abra a sua conta com a Genial!

Taxa de Juros

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!