A escolha de bons investimentos não envolve apenas a qualidade de cada ativo. É preciso considerar o alinhamento com o seu planejamento e a relação com as suas outras movimentações. Por isso, recorrer a estratégias como o asset allocation pode ajudar — especialmente, na diversificação.

Essa abordagem pode contribuir positivamente com a seleção de investimentos e avaliação do potencial de resultados, em especial no longo prazo. Desse modo, ela pode fortalecer o seu portfólio e equilibrar os riscos da carteira.

Pensando nisso, nós, da Genial Investimentos, vamos ajudá-lo a entender como funciona a estratégia de asset allocation. Ao longo deste artigo, você compreenderá mais sobre a abordagem e como ela pode ser vantajosa para seus resultados.

Vamos nessa?

Por que é importante começar a investir o dinheiro?

Antes de saber mais sobre o asset allocation, vale a pena compreender por que é tão necessário investir o seu dinheiro. Assim, ficará mais claro os motivos para ter uma estratégia de investimentos.

Acompanhe!

Reduz a perda de poder de compra (esse título diz que nunca é possível preservar ou aumentar o poder de compra)

O hábito de investir ainda não está totalmente disseminado na sociedade brasileira — embora venha ganhando popularidade. Não é incomum, por exemplo, encontrar pessoas que mantêm suas reservas paradas na conta corrente ou guardadas em casa, não é mesmo?

Entretanto, essas práticas podem ser danosas para suas finanças. Isso se deve, principalmente, ao fato de a inflação ser uma grande vilã para o seu poder de compra. Se você deixar o seu dinheiro parado, ele passa a se desvalorizar, o que pode afetar o seu patrimônio.

Portanto, começar a investir é importante para minimizar as chances desse cenário se concretizar. O seu dinheiro estará trabalhando para você e com menos riscos de perder poder de compra — desde que seja movimentado com inteligência e que consiga superar a inflação, certo?

Acelera o acúmulo de patrimônio

Investir o dinheiro também é um caminho para acelerar o acúmulo patrimonial. Além das suas fontes de renda atuais, como o trabalho, você poderá aproveitar os rendimentos gerados por suas movimentações no mercado financeiro.

Ao obter bons resultados, você terá mais recursos disponíveis, o que poderá levar a uma mudança positiva em seu padrão e na sua qualidade de vida. No longo prazo, essa característica pode ajudá-lo a ampliar o seu patrimônio familiar.

Aproxima da independência financeira

A independência financeira representa o estágio em que já não é preciso depender das fontes de renda ativa para manter o seu estilo de vida. Em vez de trabalhar para se sustentar, por exemplo, a renda passiva gerada pelo seu patrimônio é suficiente para cobrir seus custos mensais.

Nesse ponto, os investimentos deixam de ser um complemento para a renda e podem se tornar a principal fonte de recursos. Embora essa situação pareça distante, começar desde já a investir é essencial para concretizar a independência financeira.

O que é asset allocation?

Agora que você sabe por que investir, vale a pena conhecer uma das estratégias para chegar a esse resultado: o asset allocation. Também chamada de alocação de ativos, em tradução livre, essa é uma estratégia de investimentos que busca distribuir os seus recursos de maneira mais estratégica.

Logo, a ideia é direcionar o dinheiro para as diferentes alternativas disponíveis no mercado, alinhadas com o seu planejamento. Entre as possibilidades que podem compor a carteira, estão os títulos de renda fixa, ativos de renda variável, imóveis e outras possibilidades.

O asset allocation, por sua vez, serve para determinar o percentual do dinheiro investido em cada alternativa. Ao mesmo tempo, ele procura balancear os novos investimentos com os antigos, tornando o seu portfólio diversificado.

Nesse sentido, a estratégia considera diversos fatores. Ela analisa o perfil do investidor, seus objetivos financeiros, o risco que poderá ser assumido e a rentabilidade financeira esperada de cada investimento.

Vale a pena ressaltar que não existe uma fórmula mágica e infalível para garantir o que o cada investidor está buscando, certo? O mercado financeiro é dinâmico e muito influenciado por fatores externos. Por conta disso, não é possível prever tudo o que pode acontecer — especialmente na renda variável.

No entanto, muitas vezes é preciso assumir riscos no mercado para melhorar o seu potencial de retorno. Portanto, o asset allocation pode ser uma estratégia para equilibrar os riscos e diversificar as suas movimentações de maneira inteligente.

Como o asset allocation funciona?

Em relação ao funcionamento, o asset allocation prevê a montagem do portfólio tendo como base principal o perfil do investidor. Nesse sentido, há a criação do asset mix, que é o conjunto de todos os ativos da carteira de investimento.

Desse modo, o asset mix pode ser composto por um conjunto de ações, títulos e outras alternativas do mercado. A aplicação do asset allocation também envolve a porcentagem do capital destinado para cada investimento escolhido.

Na hora de definir essa distribuição, a segurança e o prazo dos investimentos devem ser considerados. É importante que eles se alinhem com as suas características pessoais.

Trazendo um exemplo, considere um asset mix que contém 70% do capital investido em renda fixa e 30% em variável. Provavelmente, essa carteira de investimentos será de um investidor com o perfil mais moderado, pois a maioria do seu dinheiro está alocado em alternativas mais seguras.

Se a situação inversa, com 70% de investimentos de renda variável e 30% de renda fixa, a composição seria mais alinhada com o perfil arrojado.

Ao mesmo tempo, a alocação de ativos pode ajudar a diversificar o portfólio de maneira estratégica. Então pode valer a pena balancear entre opções de maior e menor risco. Dessa forma, você não fica totalmente exposto e pode tentar alcançar uma maior renda sem comprometer todo o seu patrimônio.

Quais são as principais características desse método de alocação?

Para conhecer ainda melhor como o asset allocation funciona na prática, é importante entender que essa estratégia não funciona de apenas uma maneira. Ao conhecer quais são as suas variações, você poderá colocá-lo em prática de maneira alinhada com suas necessidades.

Quer conhecer as características dos tipos de asset allocation? Continue a leitura e saiba mais!

Alocação tática

A alocação tática busca dividir os recursos em investimentos com prazos distintos. Por exemplo, entram nesse direcionamento as alternativas de curto, médio e longo prazo, a depender do planejamento de cada investidor.

Entretanto, a alocação tática de ativos pode não ser recomendada para todos os públicos. Ela se direciona, principalmente, para investidores que já estejam no mercado financeiro há mais tempo e tenham experiência na compra e venda de ativos.

Isso acontece porque ela é pautada pelo cenário econômico do país, o que ajuda a determinar como investir o dinheiro. A elaboração da estratégia ocorre conforme as movimentações do mercado.

Entendendo essa orientação mais mercadológica e técnica, a alocação tática procura ter um impacto positivo na rentabilidade da carteira. Com esse acompanhamento contínuo, é possível encontrar oportunidades interessantes e avaliar o momento certo para investir, por exemplo.

CPPI

O constant proportion portfolio insurance (CPPI) — chamado de seguro de portfólio de proporção constante, em tradução livre — seleciona ativos variados. Porém, o modelo traz para a carteira de investimentos uma característica: a perda aceitável.

Para o portfólio montado tendo como base a estratégia CPPI, é necessário estabelecer um limite máximo para perdas.

Imagine que existem R$ 100 mil disponíveis para compor a sua carteira, desse montante o piso é definido em R$ 90 mil. Isso resulta em R$ 10 mil de perda admissível, representando 10% do total. Após essa definição, esse valor considerado aceitável entrará na cota de investimentos de risco.

Desse modo, pode haver uma perda de até R$ 10 mil em um investimento de alto risco, mas R$ 90 mil teriam que ser preservados em aplicações financeiras mais seguras e conservadoras. Desse modo, seria possível manter 90% do seu patrimônio resguardado, teoricamente.

A abordagem pode ser interessante para investidores que desejam aumentar o potencial de rentabilização do patrimônio, sem ignorar a segurança.

Alocação dinâmica

A alocação dinâmica, como o próprio nome sugere, é uma forma ativa de gerir os seus investimentos. A abordagem consiste em realocar, de forma frequente, os ativos presentes no seu portfólio.

Para seguir a orientação, é necessário ter agilidade. Ela é essencial para garantir uma rápida compra e venda de ativos, sempre considerando a dinâmica e as percepções sobre as movimentações do mercado.

Por ser dinâmica, esse tipo de alocação não ficará focada em médio ou longo prazo. Os seus alvos, portanto, são ativos que sejam de curto prazo. Por conta disso, é preciso ter um conhecimento aprofundado do mercado e das regras que o regem.

Alocação estratégica

A alocação estratégica, da proposta de asset allocation, se destaca por distribuir o seu capital entre renda fixa e variável. Na primeira classe, o foco é segurança e proteção. Na segunda, o objetivo envolve obter os melhores retornos.

A abordagem é voltada, em especial, para investimentos de longo prazo, já que não existe uma movimentação constante. Portanto, você precisará definir os percentuais para cada classe.

Por exemplo, a sua carteira pode ter uma divisão 70-30, sendo 70% renda fixa e 30% renda variável. Regularmente, vale fazer análise de resultados para avaliar se a proporção se manteve após os movimentos do mercado e da economia e, se necessário, rebalancear o portfólio.

Quais são as diferenças entre asset allocation estático e dinâmico?

Como você aprendeu, existem distintos direcionamentos dentro da estratégia asset allocation. Ao estudar cada forma de diversificação da carteira, foi possível notar que existem duas modalidades principais: a alocação estática e a dinâmica.

Ao utilizar de forma majoritária o asset allocation estático, você investe de maneira mais passiva, sem fazer tantas alterações no planejamento inicial.

Já ao optar pela modalidade dinâmica, pode ser preciso realizar o monitoramento constante de boas oportunidades de investimentos no mercado financeiro. Além disso, o timing é importante para se antecipar a tendências e aumentar o potencial de retorno.

Cada abordagem possui vantagens e desvantagens e você deve analisar qual alternativa encaixa melhor com as suas expectativas e sua realidade. Por exemplo, alguém com menos tempo para monitorar o mercado pode se dar melhor com estratégias estáticas.

Como a asset allocation ajuda na diversificação de carteira?

Existe uma frase bastante usual no mercado financeiro que diz que não devemos “deixar todos os ovos em uma mesma cesta”. Afinal, se um acidente acontecer, você poderá perder todo o seu patrimônio.

Essa mesma ideia existe para seus investimentos. Quando todo o dinheiro está alocado em apenas uma alternativa ou em poucos ativos com características similares, você fica mais vulnerável às oscilações do mercado.

Nesse sentido, com a ajuda da asset allocation, é possível buscar alternativas que transitem em inúmeros setores do mercado financeiro. A prática é válida para minimizar os riscos do portfólio, visto que uma perda não afetará todo o dinheiro, concorda?

Logo, complementar os seus investimentos com alternativas diversificadas é uma medida que balanceia a sua carteira de investimentos — seja você experiente ou iniciante. Portanto, a alocação de ativos pode aliar a segurança com o potencial mais alto de retorno.

Quais são os benefícios de aplicar essa estratégia?

Sabendo quais são as abordagens viáveis para o asset allocation e como elas contribuem para a diversificação, vale a pena conhecer outros benefícios de adotá-lo em seu plano de investimentos.

Confira!

Equilíbrio da carteira

Uma carteira de investimentos equilibrada é aquela que consegue agrupar bons investimentos em modalidades diferentes. Como você acompanhou, essa é uma das boas práticas para reduzir os riscos do portfólio.

Portanto, o asset allocation é benéfico por permitir que você equilibre os seus investimentos e fique menos vulnerável à volatilidade. Com isso, perdas em determinadas posições terão um efeito limitado em seu resultado.

Melhoria a tomada de decisão

Fazer escolhas conscientes costuma ser um dos maiores desafios para os investidores. Como existem diversas oportunidades no mercado e muitas variáveis a considerar, é natural ficar indeciso em determinados momentos.

No entanto, quando existe uma estratégia clara de onde o dinheiro deverá ser investido, você terá ciência dos seus próximos passos, o que pode ajudar no processo de tomada de decisão.

Ao entender os seus objetivos e quais investimentos podem ser mais adequados, a montagem do seu asset mix se torna mais simples. Assim, suas decisões poderão ajudá-lo a direcionar os rumos do seu patrimônio de forma clara.

Personalização do portfólio

Como não existe fórmula única para encaixar os seus investimentos, o asset allocation atende a diversos investidores, já que possibilita a personalização diante das necessidades específicas. Dessa forma, é possível escolher cada ativo colocando suas preferências e pretensões para a rentabilidade.

Ainda, é possível realizar alterações ao longo do tempo. Essa troca pode fazer sentido caso haja uma mudança na volatilidade do investimento ou se surgirem melhores oportunidades. Então o asset allocation é vantajoso para ter um portfólio alinhado aos resultados que você espera.

Otimiza o potencial de retorno

Ao adotar o asset allocation de modo alinhado ao seu planejamento, os seus resultados podem ser melhores do que se você investir sem uma estratégia definida. Como você viu, a tomada de decisão tende a ser favorecida.

No longo prazo, isso pode acelerar o seu acúmulo de capital. Com uma estratégia coerente, você também ficará mais próximo dos seus objetivos financeiros — podendo até alcançá-los antes do previsto.

Facilitação da análise de resultados

A análise de resultados nem sempre é uma tarefa simples para os investidores. Em geral, é preciso avaliar o retorno de cada investimento, comparar com o momento econômico e avaliar se a performance foi adequada para suas projeções.

Porém, esse processo pode ficar mais rápido e eficiente ao usar o asset allocation. Isso acontece pela clareza no momento de selecionar e os objetivos claros que levaram você a escolher cada alternativa do asset mix.

Em conjunto, esses dois pontos permitem que você avalie melhor os resultados e veja se a abordagem atual foi a mais eficiente para seus objetivos. Caso contrário, é possível pensar em novas distribuições para a carteira.

Redução dos efeitos dos vieses cognitivos

Os vieses cognitivos representam atalhos do cérebro humano. Normalmente, eles ocorrem em decisões rápidas que você toma sem antes fazer uma avaliação crítica do cenário.

Um dos vieses é o de ancoragem, que existe quando você usa uma informação antiga como base para uma decisão atual — sem antes analisar o contexto. Também há o efeito manada, que ocorre quando você apenas acompanha a decisão de outras pessoas.

Eles podem afetar a sua performance porque suas movimentações no mercado não serão conscientes e racionais. Com o asset allocation, por outro lado, você pode impedir que os vieses se manifestem e impactam negativamente sua carteira.

Como fazer uma boa alocação de ativos?

Para aproveitar o potencial da alocação de ativos é essencial saber como realizá-la corretamente. Como você já viu, a principal regra é entender o seu perfil de investidor, que indica a tolerância ao risco. Essa compreensão o ajudará a selecionar oportunidades compatíveis com suas preferências.

Além desse aspecto, outros pontos de análise merecem atenção. Veja quais são eles!

Estabeleça as suas metas

Para prosperar no mercado financeiro, é necessário ter os seus objetivos e metas definidos de modo claro. Porém, essa etapa pode ser desafiadora, então é preciso fazer algumas perguntas para entender suas motivações.

Entre as questões, estão:

  • O seu desejo é aumentar o patrimônio?
  • Você prefere estar ativo no mundo dos investimentos ou consultá-lo periodicamente?
  • Você prefere ter mais segurança com um retorno limitado ou o inverso?

É comum que a primeira resposta seja “sim”, pois esse é o grande objetivo de boa parte dos investidores. Já as outras perguntas ajudam a afunilar as suas especificidades ligadas ao plano para a vida.

Ainda, é importante entender em qual prazo você deseja alcançar os resultados estabelecidos. Com o fator tempo em mente, os objetivos financeiros podem ser divididos em:

  • curto prazo: são concretizados em até 1 ano;
  • médio prazo: podem ser realizados entre 1 e 5 anos;
  • longo prazo: são finalizados em períodos superiores a 5 anos.

Selecione a sua estratégia de alocação de ativos

Após definir o seu perfil e os objetivos, é o momento de selecionar a sua estratégia de alocação de ativos. Investidores que se interessam por novas oportunidades podem optar por alocações mais dinâmicas.

Por outro lado, aqueles com menos tempo ou que ainda têm pouca experiência podem ficar mais confortáveis com métodos estáticos — ao menos em um primeiro momento.

Ao mesmo tempo, é necessário pontuar que, uma vez escolhido, o curso definido deve ser seguido consistentemente. Porém, a estratégia não precisa ser eterna. Caso você não esteja satisfeito ou tenha mudado de objetivos, é possível mudar a forma como você adota o asset allocation.

Como você aprendeu, é possível optar por alocação tática, estratégica, dinâmica ou CPPI, por exemplo. Desse modo, revisar e ajustar o portfólio conforme as necessidades e mudanças ocorridas pode ajudar o seu desempenho.

Defina o seu asset mix

Na definição do asset mix, você deverá definir quais recursos serão investidos e quais alternativas passarão a integrar a sua carteira. Por isso, após selecionar os ativos e aplicações financeiras, você precisará estabelecer qual a porcentagem do seu patrimônio que ficará destinada a cada escolha.

Nesse momento, é preciso encontrar a proporção mais adequada para definir quanto cada investimento deve receber.

Por exemplo, um investidor conservador com uma carteira bastante equilibrada pode buscar certos investimentos de renda variável. Existem alguns fundos de investimento que podem ser adequados para a estratégia dele, por exemplo.

Nesse caso, para evitar assumir riscos excessivos, ele pode definir um percentual mínimo — como 5% ou 10% da carteira. O inverso vale para investidores arrojados. Mesmo com alto apetite ao risco, é interessante ter investimentos mais seguros e previsíveis para diversificar a carteira.

Por que assumir riscos pode ajudar nos investimentos?

Muitos investidores têm baixa tolerância ao risco ou mesmo aversão total a ele. Nesse caso, a preferência deles é por investimentos mais seguros e previsíveis, como aqueles presentes na renda fixa.

Contudo, convém destacar que existe uma relação intrínseca entre risco e retorno no mercado financeiro. Isto é, quanto maiores forem os riscos de uma oportunidade, mais alto costuma ser o potencial de retorno oferecido.

Na renda fixa, a rentabilidade é limitada. Isso acontece porque há uma espécie de teto para quanto o título pode retornar para o investidor. Ou seja, o baixo risco é acompanhado por um potencial menor de ganhos.

Na renda variável, o inverso acontece. Como a classe não apresenta previsibilidade ou garantia de ganhos, o potencial de retorno pode ser mais alto. Caso você invista em ações, não existe um limite para quanto uma empresa pode crescer e seus papéis possam se valorizar. Além disso, é possível lucrar com o recebimento de dividendos e outros proventos.

Por isso, desde que faça sentido para o seu perfil e seu planejamento, assumir riscos calculados pode ser vantajoso para seus resultados. A partir deles, você pode alcançar resultados mais interessantes — e o asset allocation pode ajudá-lo a obter essa exposição.

O foco no longo prazo pode melhorar os resultados do asset allocation?

Você já sabe que existem diversas abordagens de asset allocation que buscam realizar movimentações rápidas para aproveitar momentos do mercado. Porém, vale a pena destacar que o foco no longo prazo pode ser essencial para seus resultados.

Quando falamos no conceito, nos referimos ao ato de considerar horizontes mais amplos para colher resultados. Uma prática usual é o buy and hold, quando você compra ativos pensando em mantê-los na carteira por períodos mais longos.

O foco no longo prazo é vantajoso por diferentes motivos em seu planejamento financeiro. Primeiramente, ele contribui para minimizar os impactos causados pela volatilidade.

As oscilações costumam ser mais fortes em períodos mais curtos. No futuro, pode haver uma tendência de estabilização, o que pode ser útil para mitigar parte dos riscos assumidos.

Esse foco também ajuda a melhorar o seu potencial de resultados. Por exemplo, com o passar dos anos, empresas e fundos de investimento podem amadurecer e apresentar resultados mais sólidos, resultando em valorização.

Para aqueles com renda fixa na carteira, haverá o efeito dos juros compostos — também chamados de juros sobre juros. Seus rendimentos futuros serão calculados em cima da rentabilidade já gerada, não apenas da aplicação inicial. Com isso, o potencial de ganhos aumenta exponencialmente.

Como aproveitar melhor essa estratégia de investimentos?

Até aqui, você conferiu informações relevantes sobre o asset allocation e como fazê-lo com eficiência. Agora vale a pena compreender como potencializar a adoção dessa estratégia, com base em dicas que podem favorecer os seus resultados.

Confira!

Organize suas finanças

O ideal é começar com a organização das suas finanças. A intenção é saber o quanto você recebe todos os meses e quanto sai das suas contas. Caso você já invista no mercado, identifique quais são as suas posições atuais.

Se você ainda não tiver um planejamento financeiro, uma dica importante é definir percentuais para suas finanças. Por exemplo, você pode estabelecer que suas contas fixas não deverão superar 60% da renda mensal.

Junto disso, é preciso definir montantes para lazer e o que será poupado todos os meses. Essa organização incentiva bons hábitos e pode ajudá-lo a desenvolver a disciplina financeira — o que será positivo para seus investimentos.

Crie uma reserva de emergência

Após organizar as suas finanças, é necessário criar a sua reserva de emergência. Esse montante serve para garantir mais tranquilidade para o seu cotidiano em momentos desafiadores ou de crise.

Com a reserva, em vez de ter que reorganizar o seu planejamento financeiro ou tirar dinheiro já investido diante de uma crise, você poderá arcar com as despesas imprevistas. Assim, você pode manter sua estratégia sem deixar de contemplar as necessidades que surgirem inesperadamente.

Em média, a reserva deve ser suficiente para cobrir, pelo menos, 6 meses do seu custo de vida, combinado? Ademais, é interessante mantê-la aplicada em alternativas seguras e com liquidez diária. Assim, você rentabiliza o dinheiro e diminui eventuais impactos da inflação sobre o seu poder de compra.

Defina uma quantia para investir mensalmente

Os aportes frequentes são grandes aliados para ter bons resultados no mercado financeiro. Por meio deles, você pode acelerar exponencialmente o seu acúmulo de capital, favorecendo a adoção do asset allocation.

Inclusive, mesmo começando com pouco dinheiro, os aportes frequentes poderão deixá-lo mais próximo dos objetivos. Isso acontece porque você poderá acelerar a construção do seu patrimônio, favorecendo a geração de resultados.

Por isso, dentro do seu planejamento, é vantajoso definir essa quantia fixa para novas movimentações. Ela pode ser um montante fixo e predefinido ou corresponder a um percentual dos seus rendimentos mensais.

Reinvista os seus rendimentos

Ao conseguir os primeiros resultados, é oportuno que você reinvista os seus rendimentos. Isso significa que, em vez de recolher os lucros quando eles acontecerem, você deve usar o capital para fazer novos investimentos no mercado.

O ato de reinvestir aumenta sua capacidade de investimento e favorece o acúmulo de patrimônio. Isso acontece porque essa alternativa ajuda a criar um efeito “bola de neve”. Ou seja, quanto melhores forem seus resultados, mais recursos você terá para investir.

Eventualmente, os seus lucros podem até ser equivalentes ou superar a quantia que você já investe todos os meses. Dependendo das suas decisões, será possível se aproximar da independência financeira.

Acompanhe seus resultados

Por último, não se esqueça de acompanhar seus resultados para garantir que eles estejam alinhados às suas expectativas. Para tanto, vale a pena ter datas específicas no calendário para conduzir essas análises.

Especialmente para aqueles que seguem um asset allocation estático, o acompanhamento será importante para realizar o rebalanceamento da carteira. O objetivo da prática é realinhar a sua carteira de investimentos.

Por exemplo, considere que sua carteira de investimentos seja dividida entre 70% de renda fixa e 30% de renda variável. Caso seus resultados na renda variável sejam bons, essa proporção pode variar, ficando 60-40.

Apesar de você ter tido resultados expressivos, sua carteira agora estará exposta a mais riscos, certo? Nesse cenário, o rebalanceamento será útil para ajustá-la, garantindo alinhamento às suas características.

Ao chegar até aqui, você compreendeu as principais informações relacionadas a uma estratégia de asset allocation. Caso faça sentido para você, é possível usar esse conhecimento para definir e implementar o seu plano de investimentos.

Pensa em investir com foco no longo prazo? Conheça as características do novo título do Tesouro Direto: o Tesouro RendA+!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Lançamento App 30

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!