Quando se fala em investimentos, uma das preocupações dos investidores é o valor mínimo necessário para começar. Você já pensou, por exemplo, em como investir em Ações com pouco dinheiro?

Saiba que a limitação financeira não precisa ser um impedimento para explorar o potencial da renda variável. Afinal, existem alternativas diversas na bolsa de valores acessíveis a investidores com menor capital para aportes.

Neste post, você esclarecerá as principais questões sobre como investir em Ações com pouco dinheiro e descobrirá como dar os primeiros passos na renda variável e aproveitar todas as oportunidades que ela pode oferecer.

Acompanhe!

O que são Ações?

Para começar, é preciso entender o que são Ações e como elas funcionam. Uma Ação é uma pequena parcela do capital social de uma empresa Sociedade Anônima (S.A.). Elas oferecem ganhos aos investidores por meio da distribuição de dividendos ou a partir dos eventuais lucros na valorização.

A seguir, explicaremos algumas características importantes desse investimento. Confira!

Tipos de Ações

As Ações emitidas pelas companhias listadas em bolsa podem ser de dois tipos diferentes: ordinária ou preferencial. As ordinárias são aquelas que garantem direito ao voto em Assembleias. Porém, o impacto da opinião do investidor dependerá, claro, do número de papéis adquiridos.

Já as Ações preferenciais não dão direito a voto, mas garantem preferência na distribuição de lucros e dividendos. Isso também vale para o reembolso de capital diante da liquidação da companhia. Assim, elas podem ser mais atrativas para pequenos investidores.

Há, ainda as units. Trata-se de uma espécie de “pacote” de Ações negociado em bolsa, composto por ativos do tipo ordinário e preferencial.

Como as Ações funcionam?

As Ações são negociadas na bolsa de valores. Assim, um dos principais pontos sobre elas é a exposição a riscos. Tenha em mente que o ambiente da bolsa é mais adequado para os investidores mais tolerantes a esses riscos, uma vez que estarão expostos à volatilidade desse mercado.

Contudo, quando o assunto é investimento de longo prazo, as Ações também se destacam. Por isso, elas podem ser utilizadas na estratégia de composição de uma carteira diversificada.

A estratégia é válida para quem busca potencializar os rendimentos, principalmente em situações nas quais a taxa Selic está em baixa.

Outro ponto importante sobre as Ações é a sua liquidez, que costuma ser alta. Isso porque a compra e venda dos papéis pode ser realidade durante o pregão da bolsa. Contudo, é preciso considerar a oscilação de preços no curto prazo para saber lidar com a volatilidade – e evitar perdas financeiras.

Por fim, vale destacar que, além das possibilidades que oferecem para quem deseja viver de renda com dividendos e investir visando o lucro com a venda dos ativos no futuro, as Ações também podem servir aos objetivos dos especuladores.

Investidores com perfil especulador são aqueles que buscam obter resultados positivos com compra e venda de ativos na bolsa de valores no curtíssimo e curto prazo. E as Ações são ativos bastante procurados também com esse objetivo.

Quais as vantagens das Ações?

Você já sabe o que são e como funcionam as Ações. Agora, vale a pena entender os benefícios de investir na renda variável.

Afinal, ao conhecer as vantagens dos investimentos em Ações se torna mais fácil avaliar se a alternativa é viável para o seu perfil e objetivos.

O investimento em Ações, portanto, pode envolver as seguintes vantagens:

  • potencial de rentabilidade: principalmente a longo prazo, há um maior potencial de retorno do investimento, já que você se torna sócio de grandes empresas e pode acompanhar o crescimento de cada uma delas;
  • diversificação da carteira: o mercado oferece diferentes alternativas para quem deseja diversificar o portfólio na renda variável;
  • recebimento de dividendos: ao investir em Ações você tem a chance de receber dividendos e obter renda passiva no futuro.

Como investir em Ações com pouco dinheiro?

Depois de entender como funcionam as Ações, é hora de aprender como investir com pouco dinheiro.

Não é preciso ter um grande capital disponível para aproveitar as oportunidades da renda variável. Porém, é necessário saber de que maneira fazer isso da melhor forma.

Se você deseja investir na bolsa, confira a seguir as principais dicas sobre como iniciar seus aportes com pouco dinheiro!

Defina seu perfil e seus objetivos

Antes de tudo, é preciso entender o seu perfil de investidor e como você lida com os riscos. Ele é essencial para montar as estratégias de investimentos em Ações — especialmente ao delimitar os percentuais investidos.

Outra questão é considerar os seus objetivos. Quais são as suas metas em curto, médio e longo prazo? Você busca renda passiva com as Ações?

Todas as perguntas devem ser consideradas na composição de sua carteira e na decisão sobre os ativos de renda variável. Normalmente, as Ações apresentam um potencial maior para o longo prazo, especialmente para quem quer reduzir os riscos.

E, de modo geral, elas são mais indicadas para investidores com perfil moderado e arrojado.

Conheça as alternativas do mercado

Você acredita que as Ações são interessantes para compor a sua carteira de investimentos? Então saiba que existem diversas maneiras de se expor a elas mesmo com pouco dinheiro.

Conheça as principais:

Ações fracionadas

As Ações são negociadas em lotes padrões, compostos por 100 papéis. Isso costuma encarecer o investimento. Porém, é possível fazer a compra fracionada. Nesse caso, você faz a aquisição no mercado fracionário — basta adicionar a letra F após o código (ticker) da Ação no home broker.

O mercado fracionário, portanto, é mais acessível e flexível – permitindo ao investidor escolher quantos ativos deseja adquirir, entre 1 e 99 Ações. Por isso, se você tem pouco dinheiro para seus primeiros aportes na bolsa, vale a pena considerá-lo.

Fundos de Ações

Os Fundos de Investimento em Ações são mais uma alternativa para o investidor que deseja saber como investir em Ações com pouco dinheiro.

Eles são formados por um grupo de investidores e administrados por um gestor profissional. As escolhas são feitas pelo gestor, seguindo uma estratégia previamente estabelecida.

Neste caso, você não adquire as Ações em si, mas as cotas do fundo. A modalidade pode ser interessante para quem não deseja escolher sozinho os ativos. Ela também permite maior diversificação com menos custos, pois o portfólio costuma ser diverso.

Vale destacar que as cotas dos Fundos de Ações não são negociadas na bolsa.

ETFs

Além de Fundos de Ações, os Exchange Traded Funds (ETFs) ou Fundos de Índice são outra opção coletiva. Um de seus diferenciais é que as cota são negociadas na bolsa. Além disso, a gestão é passiva — o intuito é espelhar um determinado índice.

Por exemplo, o Ibovespa, principal indicador do mercado de Ações. Semelhante a ele, é possível encontrar ETFs que espelham diferentes índices — inclusive, internacionais.

Avalie os fundamentos das empresas

Se você optar por investir diretamente em Ações é fundamental avaliar os fundamentos da empresa e sua solidez. Isso influencia o seu potencial de rendimento e nos resultados obtidos pelo investidor.

O mesmo vale para os Fundos de Ações e ETFs. Neste caso, é importante identificar as alternativas mais alinhadas aos seus objetivos e considerar aspectos como gestão, histórico e estratégia dos fundos.

Conte com uma corretora de valores

Para investir em Ações ou nas alternativas que trouxemos neste conteúdo é preciso ter uma conta em corretora de valores. A partir dela você garante o acesso ao home broker ou à plataforma de investimentos e conta com todo o suporte necessário para fazer seus aportes.

Você pode contar com a Genial Investimentos nessa jornada. Clique aqui e abra sua conta!

Agora você já sabe que é possível investir em Ações com pouco dinheiro e viu como dar os primeiros passos. Então avalie a alternativa e verifique se ela faz sentido para sua carteira. Assim, será muito mais fácil tomar boas decisões de investimento e impulsionar seu portfólio!

Quer diversificar ainda mais os seus investimentos? Aproveite para aprender onde investir em renda variável!

Comentários