Escolher um fundo de investimento pode ser uma alternativa para diversificar sua carteira e aproveitar estratégias alinhadas com seus objetivos. Entre as oportunidades disponíveis, há o fundo multimercado.

Essa é uma classificação que se diferencia por oferecer mais liberdade e flexibilidade na alocação de recursos. Os riscos também são variados e há muitas opções. Portanto, é preciso conhecer o funcionamento desse fundo para avaliar a alternativa que é mais adequada para a sua estratégia.

Para você conhecer melhor o fundo multimercado, nosso time, da Genial Investimentos, separou as informações mais importantes. Veja quais são!

O que são fundos de investimento?

Os fundos de investimento são veículos em formato de condomínio financeiro. Nessa modalidade, os investidores adquirem cotas de participação e seus recursos são movimentados de maneira coletiva por um gestor profissional.

Logo, ao investir em um fundo, será o gestor o responsável por aplicar a estratégia e executar as operações. Em troca, o investidor paga uma taxa de administração. Com a movimentação coletiva do capital, é possível alcançar produtos que, muitas vezes, não são acessíveis ao pequeno investidor.

O que são fundos multimercados?

Os fundos de investimento podem ser classificados segundo diferentes critérios: abertos ou fechados, de curto ou longo prazo ou de acordo com os ativos em que investem, por exemplo. Nesse último caso, é comum que existam regras quanto ao mínimo a ser aplicado em determinados ativos.

Se um fundo é de ações, ele deve investir a maior parte dos recursos nesses papéis e em instrumentos financeiros relacionados. Já um fundo de renda fixa aplica a maioria do capital em investimentos dessa classe para poder ser classificado de tal maneira.

Com os fundos de investimento multimercados é diferente porque, por definição, eles não têm essa obrigatoriedade. Como o nome indica, eles são fundos cuja política de investimento não precisa ter o compromisso de concentração em nenhum mercado em especial.

Então existem fundos multimercado com diferentes estratégias, níveis de risco e aportes em ativos e derivativos distintos. Inclusive, fundos multimercados podem investir, simultaneamente, em renda fixa e renda variável, na proporção desejada.

Onde investem os fundos multimercados?

Como você viu até aqui, o fundo multimercado é uma alternativa que investe de maneira diferente dos demais fundos existentes. Afinal, eles apresentam maior liberdade de gestão. Mas isso não significa que não haja uma estratégia a ser seguida.

O gestor deve seguir uma política de investimentos bem definida pelo fundo — e ela deve ser apresentada no prospecto e no regulamento dele. Assim, os fundos multimercados no geral podem ter maior liberdade, mas cada fundo em particular elabora uma diretriz para guiar os gestores.

Segundo classificação da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), os fundos multimercados são divididos em três grupos. Estes, por sua vez, podem ser divididos em outros subgrupos.

Confira!

Alocação

Os fundos multimercado do tipo alocação buscam retorno no longo prazo por meio de investimentos em diversas classes de ativos (renda fixa, ações, câmbio, etc.), incluindo cotas de fundos de investimento.

Eles se subdividem em balanceados e dinâmicos:

Balanceados

Esses são fundos com estratégia de alocação pré-determinada, com um mix específico de investimentos nas diversas classes do mercado financeiro. A política também contempla possíveis mudanças táticas e/ou rebalanceamentos que podem ocorrer.

O foco dos fundos balanceados está no longo prazo. Esses multimercados não admitem alavancagem — uma estratégia que você conhecerá mais nos próximos tópicos.

Dinâmicos

Os multimercados dinâmicos têm estratégia de alocação mais livre. Com isso, não precisam se ater especificamente a um mix pré-determinado.

Como consequência, a política consegue reagir às movimentações do mercado financeiro sem comprometimento com um mix predeterminado de ativos. É permitida a aquisição de cotas de fundos que admitem alavancagem.

Estratégia

Os multimercados do tipo estratégia são voltados para objetivos específicos, definidos na política de investimentos. Eles adotam um caminho delimitado para alocar recursos em ativos e derivativos, conforme os resultados de interesse.

Todos os fundos de estratégia admitem alavancagem e são subdivididos em:

Macro

Operam diversas classes de ativos (renda fixa, renda variável, câmbio, etc.) e definem suas estratégias de investimentos com base em avaliações de cenários macroeconômicos de médio e longo prazo.

Trading

Operam classes distintas, mas tentam obter seus ganhos por meio de movimentos de curto prazo nos preços dos ativos e derivativos. Logo, a intenção é explorar a oscilação do mercado para obter ganhos com especulação.

Long and Short — Direcional

Operam ações e derivativos ligados ao mercado de renda variável, montando posições compradas (long) e vendidas (short). Posições vendidas são aquelas que ganham com a desvalorização do ativo. O ganho do fundo vem da diferença entre as duas posições.

Long and Short — Neutro

Eles também operam ativos e derivativos do mercado de renda variável, com posições compradas (long) e vendidas (short). O diferencial é que esses fundos têm o objetivo de diminuir a exposição financeira, o que pode reduzir os riscos gerais.

Juros e moedas

São fundos que desejam consolidar retorno no longo prazo com base na renda fixa, sem investimentos na renda variável. Eles buscam se expor a juros, índices de preços e de moeda estrangeira.

Livre

É a subcategoria mais versátil e flexível, já que não precisa se ater a nenhuma estratégia pré-definida, dentre as já citadas. Com isso, cada fundo multimercado desse tipo adota uma abordagem pontual.

Capital protegido

São aqueles que buscam retornos em mercados de risco (como derivativos). Porém, atuam para proteger parte ou todo o capital principal investido. Assim, se houver perdas no investimento do fundo, os cotistas são capazes de recuperar um percentual predefinido ou a totalidade dos recursos.

.Estratégia específica

Esses fundos atuam com instrumentos financeiros de riscos específicos, como contratos futuros de commodities ou de índices.

Investimento no Exterior

Outra classificação envolve os fundos multimercado de investimento no exterior. Eles alocam, pelo menos, 40% do patrimônio em ativos do mercado externo e costumam apresentar exposição cambial.

O que é alavancagem no fundo multimercado?

Ao conhecer os tipos de fundos multimercado, você viu o uso do termo alavancagem. Esse é um conceito importante para entender as possibilidades dos fundos. Em especial, porque pode trazer mais riscos.

Na prática, a alavancagem envolve a utilização de recursos, instrumentos e oportunidades externas para multiplicar seus resultados. A partir de um pequeno esforço ou investimento, torna-se possível ampliar os ganhos —mas as perdas também podem ser proporcionalmente maiores.

No mercado financeiro, alavancagem é o ato de operar volumes financeiros maiores que o próprio patrimônio. Ou seja, operar grandes volumes com apenas uma fração dos seus recursos. Ao fazer uma operação alavancada, o fundo está movimentando uma quantia maior do que tem de fato.

Se der certo, o retorno é maior do que seria em uma operação sem alavancagem. Mas, se der errado, o investidor terá uma perda maior do que o prejuízo que seria observado em negociações comuns.

No caso dos multimercados, é o gestor que realiza (ou não) a alavancagem. Em geral, fundos com uma estratégia mais arrojada em busca de ganhos maiores podem adotar essa modalidade. Com isso, é possível obter um potencial de ganho maior.

Contudo, como cotista, você deve avaliar os riscos que a alternativa envolve. Para avaliar melhor, saiba mais sobre o que é alavancagem em nosso outro artigo!

Quais são outras características do fundo multimercado?

Após aprender quais são os tipos de fundo multimercado e como eles investem, é interessante conhecer mais características relevantes. Assim, você entenderá melhor o funcionamento e poderá compreender o que representa essa oportunidade.

A seguir, confira os pontos principais sobre os fundos multimercado!

Liquidez

Apesar de serem fundos abertos, os multimercados têm níveis diferentes de liquidez. Existem aqueles que pagam os investidores poucos dias após o pedido de resgate. Portanto, apresentam alta liquidez.

Outros só disponibilizam os recursos após certo tempo decorrido desde o pedido de resgate — por exemplo, em 30, 60, 90 ou até 180 dias. Durante esse período, o capital continua exposto às flutuações do fundo e ainda pode gerar rentabilidade.

Em geral, essa espécie de carência ocorre em fundos que investem em ativos de longo prazo e liquidez reduzida. Como consequência, eles não permitem ao fundo fazer vendas ou resgates imediatos para honrar os pedidos de resgate dos cotistas.

Em razão disso, quem investe nesse tipo de fundo multimercado deve estar ciente do prazo para resgate. Por fazer sentido ter outras aplicações financeiras de alta liquidez para atender às suas necessidades mais imediatas.

Afinal, para resgatar dinheiro dos fundos menos líquidos, é preciso ter certo planejamento. Entenda melhor com um artigo sobre como funciona o mecanismo de resgate e liquidação dos fundos de investimento.

Custos

Como você já viu, fundos multimercados sofrem a cobrança de taxas de administração para remunerar a gestão profissional. Além disso, alguns podem cobrar a taxa de performance, que é um percentual sobre a rentabilidade que exceder o benchmark do fundo.

Por exemplo: se o fundo tomar como referência de rentabilidade o Certificado de Depósitos Interbancários (CDI), ele pode cobrar uma taxa sobre o rendimento que exceder o CDI. Ela serve como incentivo para o gestor buscar uma rentabilidade acima da média do mercado.

Além dessas taxas, há os impostos que você conhecerá a seguir. Então considere todos os custos para avaliar o investimento e seu potencial de retorno. Ao analisar o histórico de um fundo, lembre-se de que eles já estão líquidos das taxas de administração e performance, mas não de impostos.

Tributação

Quanto à tributação, os fundos multimercados podem ser classificados como sendo de curto ou longo prazo. Isso é apresentado nas próprias informações do fundo e muda a forma como o Imposto de Renda (IR) é cobrado.

Embora ambos tenham a aplicação da tabela regressiva de IR, as alíquotas variam com cada tipo. A tabela regressiva de fundos de curto prazo é a seguinte:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • acima de 180 dias: 20%.

Já a tabela regressiva para fundos de longo prazo apresenta maior variedade de alíquotas. Confira como ela funciona:

  • até 180 dias: 22,5%;
  • de 181 a 360 dias: 20%;
  • de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • acima de 720 dias: 15%.

Ainda sobre o pagamento de Imposto de Renda, vale saber que o fundo multimercado tem come-cotas. Essa é uma forma de adiantamento do imposto devido. Ele é cobrado na forma de resgates de cotas e acontece semestralmente — em maio e em novembro.

Normalmente, paga-se a menor alíquota (15% para fundos de longo prazo e 20% para fundos de curto prazo). No momento de resgate do investimento, o investidor pode ser cobrado da diferença de imposto, caso exista.

Para resgates realizados em um prazo inferior a 30 dias, existe também a cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). A alíquota varia de 96%, para 1 dia, até 0%, a partir dos 30 dias. Acima desse prazo o imposto já não é mais cobrado.

Quais são as vantagens dos fundos multimercado?

Com base nessas características, você pode perceber que existem pontos positivos do investimento em fundos multimercados. Um dos mais relevantes é a diversificação de investimentos, já que é possível variar as estratégias adotadas.

Além disso, há uma grande variedade de tipos de fundos multimercados e suas respectivas políticas de investimento. Essa versatilidade aumenta as chances de você encontrar a opção certa para a sua carteira.

Outro ponto importante é que, dependendo da política de investimentos, um fundo multimercado pode ajudá-lo a se proteger ou até a buscar lucro em quedas do mercado. Como consequência, o retorno da carteira pode ser favorecido.

Também existem as vantagens atreladas aos fundos de investimento no geral. Essa é uma alternativa acessível, já que permite se expor a diferentes ativos e derivativos com a compra das cotas — que costuma ter um custo menor que cada operação separada.

Além disso, existe mais praticidade, pois um gestor toma todas as decisões e realiza as operações. Se você não quiser ou não puder se dedicar intensamente ao mercado e suas condições, essa pode ser uma alternativa.

Resumo Vantagens:

  • Gestão de um profissional capacitado.
  • Diversidade de investimentos e a liberdade para mesclá-los
  • Diversidade de estratégias
  • Manobra de alavancagem
  • Alternativas de liquidez
  • Rentabilidade geralmente superior ao CDI

Quais são os riscos do fundo multimercado?

Para conhecer esse tipo de fundo, também é importante entender qual é a exposição ao risco que existe ao investir em um multimercado. Como vimos, o nível de risco de cada fundo depende da estratégia adotada.

Contudo, eles são classificados, em geral, como moderados ou arrojados. A exceção fica para certos fundos classificados como Juros e Moedas. Como esse tipo de fundo multimercado não investe em renda variável, a tendência é que seja considerado de baixo risco.

Nos outros casos, os fatores de risco dos multimercados estão ligados aos ativos e derivativos aos quais eles se expõem e à estratégia adotada para compor a carteira.

Um multimercado que invista mais em renda fixa, por exemplo, está mais sujeito ao risco de crédito. Ele decorre da probabilidade de o emissor não conseguir pagar os investidores dentro das condições específicas.

Por outro lado, os que focam em renda variável costumam ser afetados pelo risco de mercado. Ele envolve as perdas que podem se concretizar devido às flutuações do mercado. Por sua vez, um multimercado que invista em câmbio terá maior risco cambial e assim por diante.

Logo, é preciso avaliar qual é o nível de exposição ao risco de cada fundo. Normalmente, os que desejam obter maior retorno também são os mais arrojados. Já os voltados para proteção buscam equilibrar os riscos.

Vale a pena investir em fundos multimercados?

Considerando as vantagens e os riscos dos fundos multimercado, é possível definir se vale a pena investir nessa alternativa. Mas, para isso, você deve considerar as suas características pessoais. Afinal, essa é uma decisão de cada investidor.

Portanto, avalie seu perfil e objetivos. Normalmente, os fundos moderados e arrojados podem fazer sentido para investidores com perfil de maior risco, que tenham objetivos de longo prazo e desejem favorecer a rentabilidade.

Porém, a decisão deve envolver uma análise mais profunda dos fundos multimercados. Se a estratégia for muito agressiva para a sua tolerância ao risco, por exemplo, o investimento pode não valer a pena.

Assim, é preciso conferir as informações da lâmina do fundo e a estratégia definida. Com base nisso, você pode entender se a escolha é adequada ou não para as suas necessidades e para os seus interesses.

Como investir em fundos multimercados?

Caso você decida que vale a pena investir em um fundo multimercado, é o momento de conhecer as etapas até realizar o investimento. Desse modo, saberá quais passos dar antes de ter as cotas do veículo financeiro em sua carteira.

Confira o que fazer para investir em fundos multimercados!

Identifique seu perfil de investidor

O primeiro passo consiste em identificar qual é o seu perfil de investidor, que indica seu nível de tolerância ao risco. Investidores moderados e arrojados, como visto, podem estar mais alinhados aos multimercados.

Porém, mesmo investidores conservadores podem aproveitar um multimercado de juros e moeda como forma de diversificação, por exemplo. O importante é saber qual é a sua tolerância ao risco para garantir que o fundo esteja alinhado com ela.

Analise seus objetivos financeiros

Também é necessário pensar em seus objetivos financeiros. Afinal, o fundo multimercado costuma estar atrelado a objetivos de longo prazo — especialmente, quando são de risco moderado ou arrojado, pois o período estendido ajuda a diluir os riscos.

A avaliação do prazo dos seus objetivos também é necessária para analisar a liquidez. Fundos com menor liquidez tendem a ser mais adequados para estratégias focadas em um horizonte mais distante. Logo, se você precisar resgatar, poderá aguardar o período solicitado pelo fundo.

Abra conta em uma corretora de valores

Depois de conhecer suas características pessoais, é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores. Essa instituição é a responsável por distribuir diversos investimentos, incluindo os fundos multimercado.

Eles são encontrados na plataforma de investimento da corretora. Então você deve avaliar o portfólio dela e decidir entre as opções disponíveis. Por isso, é importante buscar uma instituição com amplo portfólio e variedade de opções.

Na Genial Investimentos, você encontrará uma grande diversidade de fundos multimercado, bem como de outras oportunidades de renda fixa e renda variável. Com isso, poderá escolher o que fizer mais sentido para a sua carteira.

Encontre o fundo ideal para você

Após acessar a plataforma de investimentos da corretora, será hora de escolher entre os melhores fundos multimercados para você. Para tanto, é preciso identificar características como estratégia e política de investimento, qualidade da gestão e demais condições.

Ao avaliar o histórico, lembre-se de que desempenho passado não é garantia de performance futura. Portanto, vale a pena ponderar a relação de risco e retorno. Após fazer a escolha, basta realizar o investimento por meio da corretora. Assim, você terá a alternativa como parte da sua carteira.

Acompanhe a carteira

Após investir em fundos multimercado, vale a pena manter uma rotina de acompanhamento dos resultados — deles e de outros investimentos. Com isso, você poderá saber se é necessário rebalancear, considerando o risco desejado para o seu portfólio.

Se o seu perfil de investidor mudar e você se tornar mais arrojado, por exemplo, é possível investir em fundos multimercados mais agressivos — e o contrário também é válido. Por isso, manter a carteira sob análise ajuda a tomar decisões melhores ao longo do tempo.

Como você acompanhou, o fundo multimercado é um tipo mais flexível de investimento com funcionamento coletivo. Com diferentes níveis de risco, retorno e liquidez, é possível escolher o que for mais adequado para o seu perfil e para a sua estratégia.

Essas informações foram úteis? Se quiser começar a investir nas alternativas, abra sua conta conosco e seja Genial!

Comentários