Muitas pessoas têm receio de investir, seja por desconhecimento ou desinformação. Alguns acreditam que é preciso ter muito dinheiro para começar a investir ou para aprender como fazer. Porém, isso não é verdade. 

O mercado financeiro oferece boas alternativas de investimento para todos os tipos de perfis de investidor e objetivos financeiros. Inclusive para quem não conta com um grande patrimônio inicial ou muita experiência nessa atividade. 

Está interessado em saber quais são os melhores investimentos para esse perfil?  Neste artigo, nós da Genial ajudaremos você a conhecer as opções disponíveis no mercado e como elas funcionam. Confira! 

Quais são os melhores investimentos para quem tem pouco dinheiro? 

A segurança costuma ser bastante importante para o investidor que está iniciando. Isso porque muitos dispõem somente daquilo que têm como reserva de emergência, guardada para ser utilizada em casos de urgência. Por exemplo, em acidentes, problemas de saúde ou perda de emprego. 

Portanto, para as pessoas com esse perfil faz mais sentido priorizar a segurança e liquidez na escolha dos investimentos. Dessa forma, estarão protegidas contra grandes perdas de capital, bem como poderão ter acesso aos recursos no momento em que desejarem.  

Conheça abaixo algumas modalidades que costumam ser adequadas a esse perfil de investidor: 

Tesouro Selic 

Trata-se de um investimento de renda fixa bastante seguro. No Tesouro Selic, você empresta o seu capital ao Governo por um tempo determinado e posteriormente recebe o que emprestou somado aos juros acordados.  

A rentabilidade desse título público acompanha a variação da taxa básica de juros da econômica — a taxa Selic. Ela, por sua vez, é definida pelo Comitê de Política Monetária do Banco central (Copom) a cada 45 dias. Em agosto de 2021, a taxa Selic estava em 5,25% ao ano.

Esse investimento apresenta diversas vantagens para quem não tem muitos recursos. Uma das principais está relacionada à acessibilidade, pois é possível começar a investir com valores menores (próximos a R$ 100,00).  

Outra vantagem diz respeito a ser considerado um dos títulos mais seguros do mercado. Isso porque o investidor será credor do Governo, que dificilmente deixará de pagar seus credores.  

Também conta como benefício a proteção diante de oscilações econômicas. Como está atrelado à principal taxa do país, o título acompanha a economia. Se a inflação aumenta, por exemplo, é comum que a Selic aumente junto, com o objetivo de controlar o cenário. 

Mais um ponto positivo é a alta liquidez — ou seja, a possibilidade de transformar o investimento em dinheiro disponível. O Tesouro Selic é um título público com liquidez diária. Assim, o investidor consegue vender antes do prazo de vencimento com facilidade. 

CDB 

No certificado de depósito bancário (CDB) o investidor empresta o capital a um banco e recebe de volta os juros depois de um período determinado. As condições de rentabilidade, prazo de vencimento, liquidez e risco variam de acordo com cada tipo de aplicação e de instituição. 

Por ser de renda fixa, esse título também pode ser uma boa opção para os iniciantes. Para quem tem planos mais imediatos, alguns CDBs apresentam liquidez diária. E se você prioriza muito a segurança, pode buscar por instituições sólidas e reconhecidas. 

Ainda em relação à segurança, uma vantagem do CDB é que conta com a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Isso quer dizer que a instituição cobre todas as aplicações de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira.  

Portanto, se o banco emissor entrar em falência, você terá o direito de receber o valor que investiu, desde que não ultrapasse o referido valor. Além disso, há um limite global de R$ 1 milhão a ser usado em instituições diferentes — ele se renova a cada 4 anos. 

Fundos DI 

Os fundos referenciados de renda fixa DI, também conhecidos como fundos DI, têm rentabilidade atrelada à variação do certificado de depósito Interbancário (CDI). Essa é uma taxa de juros que costuma estar próxima à taxa Selic. 

Por serem fundos de investimentos, o investidor adquire cotas e participa de um portfólio coletivo. Os investimentos são feitos por um gestor — que, no caso dos fundos DI, foca em aplicações de renda fixa.  

Os fundos podem fazer sentido para pessoas que possuem pouco dinheiro para investir ou que desejam contar com a atuação de um gestor profissional do mercado. Ao mesmo tempo, é preciso saber que você toma decisões sobre o portfólio do fundo. 

Ademais, os fundos DI não contam com a garantia do FGC, mas apresentam baixo risco por focar em títulos seguros. Para remunerar a gestão, pode ser cobrada uma taxa de administração. Logo, vale a pena conferir os valores cobrados. 

Saiba Mais: Perfil de Investidor: Você sabe o seu tipo de investidor?

Por que a poupança não é um bom investimento? 

Você acabou de conhecer exemplos de como investir pouco dinheiro com segurança. Eles podem ser boas alternativas à poupança. Esse título, devido à sua baixa rentabilidade, não é a melhor opção de investimento.  

Isso porque a rentabilidade dela costuma ser menor que a taxa Selic e não há garantias de que ela reponha a inflação. Assim, quem investe na caderneta poderá perder poder de compra com o tempo, especialmente nos períodos em que a inflação está mais alta. 

Além disso, os ganhos da poupança somente são pagos a cada 30 dias completos de investimento. Caso o investidor faça o resgate da aplicação antes desse prazo, não terá nenhum rendimento.  

Nos títulos que você conheceu, a rentabilidade se dá diariamente — com a exceção dos CDBs, que podem ter outro tipo de liquidez. 

Vale a pena investir em ações? 

O investimento em ações na bolsa de valores pode apresentar rentabilidade mais interessante, e até mesmo superar os investimentos de renda fixa. No entanto, os riscos são mais elevados — especialmente diante da alta volatilidade desses ativos no curto prazo. 

Desse modo, aportar capital em ações pode não ser o investimento mais indicado para os investidores que têm pouco dinheiro e buscam mais segurança. Mas, se você tem interesse no mercado, pode se expor aos poucos, com uma menor parte do seu capital. 

É possível, portanto, investir em ações com pouco dinheiro. Contudo, lembre-se de já ter uma reserva de emergência. Afinal, devido aos riscos de perda — e a maturação do investimento no longo prazo, é importante ter um montante líquido e seguro para emergências. 

Agora você sabe como investir com pouco dinheiro. Considere as alternativas e veja as que se adéquam ao seu perfil e objetivos financeiros. É possível aproveitar desde aplicações de renda fixa, como os títulos do Tesouro Direto, até alternativas de maior risco.  

Se você ainda está em dúvida sobre o melhor produto ou ativo para seu perfil, conte com a Genial Investimentos! Abra já a sua conta!

Comentários