A Letra de Câmbio (LC) é um tipo de título de renda fixa emitido por sociedades de crédito, investimento e financiamento (SCFI), popularmente conhecidas como “financeiras”. Ao contrário do que o nome sugere, a LC não tem nada a ver com operações envolvendo moeda estrangeira.

A Letra de Câmbio é da mesma “família” dos títulos mais conhecidos de renda fixa, como CDB, LCI e LCA, emitidos por bancos e cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), a mesma garantia da  poupança. A LC funciona da mesma forma, mudando apenas o emissor. Por isso, ela é apelidada popularmente de “CDB das financeiras”.

Como funciona uma Letra de Câmbio (LC)

Assim como os bancos emitem CDB, as financeiras emitem a LC para captarem recursos junto a investidores e financiar suas atividades. Ou seja, quem compra uma Letra de Câmbio está emprestando dinheiro para a financeira emprestar para outras pessoas e empresas. Em troca, o investidor que adquiriu a LC recebe uma remuneração, que é justamente a rentabilidade.

Rentabilidade

A Letra de Câmbio costuma pagar um pouco mais que os CDB, considerando o mesmo prazo. Isso porque as financeiras normalmente têm maior dificuldade de captação de recursos que os bancos, mesmo os de médio porte, o que as obriga a oferecer remunerações maiores para atrair investidores.

A maioria das LC tem remuneração expressa na forma de um percentual da taxa DI ou CDI. Geralmente, as LC pagam, pelo menos, 100% do CDI. A taxa DI, ou simplesmente CDI, é a taxa de juros das operações interbancárias, que segue de perto a Selic e é usada como referência para a remuneração da renda fixa. Saiba mais sobre a taxa DI e sua correlação com a Selic, a taxa básica de juros.

Pode haver também LC prefixadas, que pagam uma taxa acordada no ato do investimento, sem correção por qualquer indexador. Por exemplo, 10% ao ano, 12% ao ano e assim por diante. Finalmente, a rentabilidade da Letra de Câmbio pode também ser atrelada à inflação, expressa na forma de uma taxa prefixada mais a variação da inflação pelo IPCA, assim como ocorre com CDBs ou Tesouro Direto.

Prazo e liquidez

Existem Letras de Câmbio de curto, médio e longo prazo, de alguns meses a mais de cinco anos. Para investir nesses papéis é recomendado casar a data de vencimento com a data em que se pretende usar os recursos. Isso porque as LC não podem ser resgatadas antes do vencimento.

Se o investidor precisar reaver os recursos investidos antes do vencimento, deverá vender a Letra de Câmbio no mercado secundário a outro investidor interessado. Nesse caso, a rentabilidade pode ser diferente da remuneração contratada. Esta só é garantida para quem leva o papel até o fim do prazo. Isso também ocorre em muitos dos CDBs, títulos públicos e principalmente LCIs e LCAs.

Investimento mínimo

O investimento mínimo em Letra de Câmbio também costuma variar bastante, mas em geral essa aplicação é bastante acessível à pessoa física. Assim como ocorre com outros títulos de renda fixa privada, é comum que a remuneração seja maior para quem tem mais recursos para investir. Porém, com R$ 1000 já é possível comprar uma Letra de Câmbio que pague 100% do CDI ou mais.

Riscos

As Letras de Câmbio têm risco de liquidez, uma vez que devem ser levadas até o vencimento. Vendas antecipadas podem sacrificar os rendimentos. Em função disso, esses títulos não devem ser utilizados para objetivos como a reserva de emergência, que exigem investimentos que possam ser facilmente resgatados a qualquer momento, sem perda de rentabilidade.

Para essa finalidade, é mais aconselhável aplicar em CDB de liquidez diária, títulos públicos, como o Tesouro Selic (LFT), ou em fundos de renda fixa conservadora.

Quanto ao risco de crédito, o investidor está exposto ao risco de calote da financeiro que emitiu a LC. Entretanto, a garantia do FGC mitiga esse risco e na prática iguala as LC aos CDB e à caderneta de poupança para quem não for investir acima do limite garantido.

O FGC cobre os investimentos em LC e em outras aplicações garantidas até um limite de 250 mil reais por CPF, por instituição financeira, e até um limite global de um milhão de reais somando-se todas as instituições financeiras.

Assim, respeitado os limites de cobertura, as LC são tão seguras quanto a poupança e os CDBs. Em caso de quebra da financeira que emitiu o papel, o investidor é ressarcido pelo fundo.

Taxas e Imposto de Renda

Não há cobrança de taxas para o investimento em Letra de Câmbio. Quanto aos impostos, são válidas as mesmas regras dos demais títulos de renda fixa. Os rendimentos sofrem a cobrança de imposto de renda na fonte, de acordo com a tabela regressiva válida para as aplicações financeiras:

Editar
Prazo da aplicação Alíquota de IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 360 dias 20,0%
De 361 a 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15,0%

Investimentos de prazo inferior a 30 dias também sofrem cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os rendimentos. O desconto de IOF segue a seguinte tabela regressiva:

Editar
Número de dias decorridos após a aplicação IOF (%) Número de dias decorridos após a aplicação IOF (%)
1 96 16 46
2 93 17 43
3 90 18 40
4 86 19 36
5 83 20 33
6 80 21 30
7 76 22 26
8 73 23 23
9 70 24 20
10 66 25 16
11 63 26 13
12 60 27 10
13 56 28 6
14 53 29 3
15 50 30 0

Interessado em Letras de Câmbio? Conheça as nossas ofertas e abra sua conta na Genial Investimentos!

abra sua conta

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *