Você já está se programando para a sua aposentadoria? Algumas pessoas não se preocupam muito com isso, talvez pelo fato de parecer algo muito distante. Contudo, muitos idosos se arrependem de não ter se programado quando eram mais jovens. 

Isso porque a renda passiva pode ajudar você a alcançar a independência financeira e ter um bom padrão de vida depois da aposentadoria. No entanto, é preciso desenvolver uma boa estrutura financeira — o que pode levar bastante tempo. Logo, planejar-se é essencial. 

Nós, da Genial, queremos que você consiga uma renda passiva para ter um padrão de vida satisfatório no futuro. Por isso, reunimos diversas dicas que vale a pena colocar em prática desde já.  

Leia até o final e veja como garantir a sua aposentadoria com investimentos

O que é renda passiva? 

Renda passiva é a renda que cai na sua conta sem que você precise trabalhar. Ela se contrasta com o conceito de renda ativa, que depende do seu trabalho. Quando a pessoa se aposenta, ela precisa ter uma renda passiva para que não precise trabalhar na época em que tiver mais idade. 

Logo, o benefício do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) pode ser considerado renda passiva. Uma vez que a renda da aposentadoria é recebida sem que a pessoa precise continuar trabalhando ativamente.  

Mas ela não precisa ser sua única renda de aposentado. Até porque, normalmente, o benefício é limitado e o salário fica menor do que você recebia no seu período ativo. Assim, existem outras possibilidades de renda passiva.  

Por exemplo, a renda proporcionada por aluguéis. Se você tem imóveis e os aluga, eles se tornam uma fonte de renda. Royalties são outro exemplo de renda passiva. Escritores, músicos e inventores recebem parte do lucro das vendas de suas produções dessa forma. 

Infoprodutos também podem trazer renda passiva. Eles geralmente existem no formato de curso ou e-book, e demandam um trabalho inicial relacionado com a produção. Depois, podem ser vendidos com relativamente pouco esforço, motivo pelo qual são considerados uma fonte de renda passiva. 

Além disso, há os investimentos. Ter um plano de Previdência Privada, Ações e Fundos Imobiliários e outros criam mais fontes de renda passiva. Inclusive, falaremos sobre eles em detalhes mais adiante. 

Quais são os riscos da renda ativa? 

Trabalhar e obter uma renda ativa é algo que dá satisfação. No entanto, é preciso ter em mente que essa renda tem seus riscos. Por exemplo, quem é autônomo ou empresário pode ter dificuldades quando há uma diminuição na demanda. 

Além disso, quando ficam doentes é preciso encontrar soluções para não ficar sem renda. Já quem trabalha como funcionário pode ter alguma segurança em relação à cobertura do INSS. Por outro lado, também está sujeito à perda da renda por desemprego. 

Assim, de uma forma ou de outra, a renda ativa apresenta riscos. Em especial, quando se pensa em que possibilidades financeiras você está construindo para sua aposentadoria. Por isso, é melhor pensar em maneiras de não depender só dela.  

Com isso, a renda passiva pode oferecer segurança desde o período ativo — e ainda mais depois da aposentadoria. Ela é fundamental para sua liberdade e independência financeira. Se você tiver alguma dificuldade com a sua renda ativa, a passiva pode ajudar a manter as coisas equilibradas. 

Por que é importante se preparar para a aposentadoria? 

Quando você se aposentar, de onde virá a sua renda? Muitos brasileiros estão contando com a Previdência Social. É verdade que esse benefício tem contribuído para que os idosos tenham uma renda durante a época em que não podem mais trabalhar. 

No entanto, cada vez mais pessoas se dão conta de que o benefício obtido por meio do INSS não é suficiente. Com ele, a pessoa geralmente não consegue manter um bom padrão de vida. Caso ela queira ter uma renda melhor, é preciso recorrer a outras soluções — como seguir trabalhando. 

Por esse motivo, mesmo pessoas mais jovens têm demonstrado interesse pela possibilidade de viver de renda passiva. Quem conquista independência antes da aposentadoria pode ter mais tempo para se dedicar a projetos pessoais que não têm relação com o trabalho. 

Assim, a renda passiva é interessante tanto para quem tem menos idade quanto para quem se aposenta. No tópico anterior, você viu que uma renda passiva pode provir de diversas fontes, entre elas, os investimentos.  

A seguir, entenda por que é importante começar a pensar nisso o quanto antes! 

Quais são as vantagens de se programar para ter uma renda passiva? 

Como vimos, nem todas as pessoas pensam na aposentadoria. Mas o tempo passa e, muitas vezes, o arrependimento de não ter se planejado pode surgir. Se a sua aposentadoria ainda está longe, é preciso aproveitar que você tem o tempo a seu favor. 

Isso porque gerar renda passiva com investimentos requer um montante considerável investido. Para entender melhor, vamos pensar um pouco em um indicador fundamentalista muito útil para alguns investidores: o dividend yield. 

Também conhecido como DY, ele se refere a quanto uma empresa distribuiu como dividendos nos últimos 12 meses. Imagine que você tenha comprado R$1 mil de uma Ação que tenha um dividend yield de 5%. 

Se essa empresa mantiver o DY em 5% nos próximos 12 meses, você receberá R$50 em dividendos. Isso significa uma renda mensal de apenas R$4,16. Percebe que seria preciso investir um valor bem mais alto para ter uma renda passiva suficiente para o seu custo de vida? 

Assim, fica claro que a renda passiva que os investimentos podem oferecer requer o acúmulo de patrimônio. Por isso, é importante que você faça isso desde já. Quanto antes começar, menos dinheiro será necessário investir por mês, pois o longo prazo beneficiará sua acumulação. 

Inclusive, você pode reinvestir tudo aquilo que recebe como dividendos. Com o passar dos anos — e talvez das décadas, seu patrimônio crescerá a ponto de potencializar sua renda passiva. Por isso, quanto mais tempo você tiver para investir, melhores serão os resultados. 

Como escolher os melhores investimentos? 

Você está vendo que obter uma renda passiva no futuro depende de investir seu dinheiro desde já, não é mesmo? Mas como fazer investimentos para a aposentadoria?  

A seguir, veja alguns passos que são de grande ajuda! 

Descubra qual é o seu perfil de investidor 

Em primeiro lugar, é importante descobrir qual é o seu perfil de investidor. Afinal, é isso que guiará você na escolha dos investimentos ideais. Pessoas que têm pouca tolerância ao risco ou pouco conhecimento sobre o mercado financeiro geralmente são consideradas conservadoras. 

Mas também há aquelas que toleram o risco e não se importam muito com a possibilidade de terem prejuízo. Além disso, estas geralmente têm um conhecimento mais avançado sobre investimentos. Elas se encaixam no perfil agressivo, também conhecido como arrojado. 

Entre os dois anteriores, existem investidores de perfil moderado. Eles têm alguma tolerância ao risco, embora prefiram garantir certa medida de segurança. Desse modo, eles se arriscam, mas não muito. 

Defina seus objetivos 

Em seguida, você precisa definir objetivos financeiros. Seus objetivos de longo prazo talvez incluam a independência financeira e a aposentadoria. No entanto, é preciso conhecer também os objetivos de curto e médio prazo. 

Geralmente, os objetivos financeiros se dividem assim: 

  • curto prazo — até um ano para serem atingidos; 
  • médio prazo — de dois a cinco anos para serem alcançados; 
  • longo prazo — mais de cinco anos para serem atingidos. 

Faça um planejamento financeiro 

Tendo definido seus objetivos, é preciso fazer um planejamento financeiro para alcançá-los. Veja quanto será possível guardar por mês e comece a investir o dinheiro.  

Se você ainda não tem uma reserva de emergência – um montante acumulado para imprevistos, o primeiro passo é formá-la. 

Depois, você pode começar a montar uma carteira de investimentos mais diversificada, considerando os demais objetivos financeiros. 

Monte uma carteira de investimentos sólida 

O conceito de carteira de investimentos tem relação com alocar o seu dinheiro em uma variedade de alternativas do mercado financeiro. Essa é uma forma de diluir o risco e, na medida do possível, otimizar a rentabilidade do seu portfólio. 

A diversificação também tem relação com os prazos. Alguns investimentos podem servir para seus objetivos de curto prazo. Outros, para os de médio prazo. E parte da sua carteira deve ser direcionada para objetivos de longo prazo, visando a uma renda passiva. 

Dependendo das escolhas de investimentos que você faz hoje, é possível obter uma renda passiva dentro de algum tempo. Uma carteira sólida é essencial para ter renda suficiente para a sua independência financeira. 

Quais investimentos podem ser adequados para a aposentadoria? 

Agora você já entendeu que há investimentos que são adequados para a aposentadoria. Alguns podem gerar renda passiva desde o começo, enquanto outros visam ao acúmulo de recursos. 

Confira os principais a seguir! 

Ações 

bolsa de valores oferece uma grande variedade de investimentos para quem quer montar uma carteira sólida e diversificada. Entre elas, é possível investir em Ações, que são uma maneira de gerar renda passiva.  

Você deve ter em mente que cada Ação pode servir para um objetivo diferente. Por exemplo, existem aquelas que têm um bom potencial de valorização. É possível comprá-las hoje e vender dentro de algum tempo, obtendo-se lucro. 

Por outro lado, existem Ações que talvez não tenham tanto potencial de crescimento. Mas elas podem ser de empresas que são boas pagadoras de dividendos. Dessa forma, quanto mais papéis dessas empresas você tem, maior pode ser a sua renda passiva frequente. 

De qualquer forma, é importante selecionar empresas financeiramente saudáveis, já que você quer contar com elas por bastante tempo. Se você escolher boas Ações para a sua aposentadoria, elas poderão gerar parte da renda passiva necessária para a sua independência financeira. 

Fundos Imobiliários 

Os Fundos de Investimento Imobiliários, também conhecidos como FIIs, são outra maneira de receber dividendos. Além deles, também pode haver lucro — e, portanto, renda passiva — com a valorização e venda das cotas. 

Tais fundos têm cotas negociadas na bolsa de valores e investem em ativos do mercado imobiliário. Assim, podem ser interessantes para quem se interessa em imóveis. 

Contudo, é importante ter em mente que nem todos os FIIs distribuem dividendos com frequência. Por isso, você precisa escolher com cuidado aqueles mais vantajosos para o seu caso. 

Tesouro IPCA 

O Tesouro IPCA é um tipo de Título Público Federal negociado na plataforma Tesouro Direto. Ao comprar um Título Público, você está, na prática, emprestando dinheiro ao Governo Federal. Por isso, essas aplicações são consideradas os investimentos mais seguros do país. 

No caso do Tesouro IPCA, é possível comprar títulos de longo prazo, que podem ser interessantes para a aposentadoria. Uma de suas vantagens é ter rendimentos sempre acima da inflação. Desse modo, oferecem proteção contra a perda do poder de compra ao longo do tempo. 

Alguns títulos oferecem o pagamento de cupons semestrais. Assim, é possível receber renda passiva frequente até o vencimento do investimento. 

Previdência Privada 

A Previdência Privada tem um funcionamento parecido com a Previdência Social. No entanto, você não faz contribuições para uma instituição pública, mas sim privada. É possível contratar um plano em uma instituição financeira, sendo importante escolher uma confiável. 

Ao contratar uma Previdência Privada, os dois tipos principais de planos são: 

  • VGBL — Vida Gerador de Benefício Livre; 
  • PGBL — Plano Gerador de Benefício Livre. 

As principais diferenças estão relacionadas com benefícios tributários. No PGBL, você pode usar o montante pago no plano para abater até 12% da base de cálculo do Imposto de Renda. Por isso, ele pode ser interessante para quem faz a declaração completa.  

No entanto, por ocasião do resgate, o IR incide sobre o valor total. Já no VGBL, não existe o benefício de dedução na base de cálculo. Por outro lado, o Imposto de Renda no resgate só incide sobre os rendimentos. Assim, essa alternativa pode ser melhor para quem faz a declaração simplificada. 

Na contratação do plano, define-se o prazo de contribuição. Quando ele terminar, haverá o período de usufruto, em que você recebe a renda passiva. Ela pode ser paga como valor total ou na forma de renda mensal. 

Como vimos, obter uma renda passiva pode ajudar você a alcançar a independência financeira. Se isso acontecer antes da sua aposentadoria, melhor ainda. De qualquer modo, é fundamental se programar desde já para, no futuro, ter uma boa qualidade de vida com suas finanças! 

Para alcançar os seus objetivos financeiros, é preciso começar a investir o quanto antes. Por isso, abra uma conta na Genial e monte já sua carteira de investimentos! 

Comentários