Conteúdo atualizado em 24 de março de 2022 às 00:30 por Genial Investimentos.

Construir uma vida financeira mais segura e tranquila é possível, mas depende de boas decisões. Assim, quem tem dívidas e gastos acima da sua renda no mês precisa saber como sair do vermelho. A partir disso, será possível transformar a realidade das finanças pessoais. 

Essa tarefa exige uma boa organização financeira e novos hábitos quanto ao uso do dinheiro, o que pode parecer desafiador. Contudo, ela pode ser executada a partir de passos simples. Quer saber quais são eles? 

Nós, da Genial Investimentos, listamos 7 dicas para colocar a sua vida financeira em ordem e sair do vermelho. Confira! 

1. Mapeie todas as suas dívidas atuais 

Como a intenção é quitar dívidas e reverter a situação financeira indesejada, o primeiro passo consiste no reconhecimento do problema. Ou seja, é preciso entender qual é o comprometimento das suas finanças mensalmente para depois desenvolver um plano para lidar com os seus débitos

Nesse momento, você também deve fazer um mapeamento completo de todas as suas dívidas, independentemente do valor ou do prazo delas. O foco é descobrir o quanto você deve, para quem e há quanto tempo, incluindo os montantes atualizados de cada conta. 

Afinal, sem levantar essas informações, não há como sair do vermelho de maneira organizada. Por fim, some todas as dívidas identificadas para entender qual é o total devido e ter uma ideia dos impactos que elas têm sobre as suas finanças.

Saiba Mais: Planilha de Gastos para Controle Financeiro e Pessoal: Confira!

2. Crie um planejamento financeiro inicial 

O próximo passo para reverter o quadro é saber como se organizar financeiramente. Considerando que será necessário traçar uma estratégia para se livrar de vez das dívidas, é essencial elaborar um planejamento financeiro para essa fase inicial. 

Comece identificando o quanto você ganha por mês e o quanto gasta. Se o seu custo de vida for maior que sua capacidade financeira, significa que suas finanças pioram a cada dia. Então, para fugir das dificuldades financeiras, busque formas de economizar dinheiro. 

Avalie as despesas gerais e analise onde é possível gastar menos para otimizar o orçamento. Também vale a pena estabelecer objetivos financeiros quanto à economia mensal para manter o foco em seus objetivos.  

Além de ajudar a estabelecer uma mudança de hábitos que será positiva para sua vida financeira, essa é uma maneira de dispor de recursos para quitar as dívidas. Logo, quanto mais eficiente for o planejamento das finanças pessoais, mais rápida será a quitação de débitos. 

Saiba Mais: Objetivos Financeiros: Como se planejar antes de investir

3. Opte por trocar dívidas mais caras por outras mais baratas 

Durante as análises sobre as dívidas, aproveite para analisar as características de cada uma. Como a quantidade de recursos é limitada, o ideal é priorizar essas contas em aberto para saber o que deve ser pago antes. 

Em termos estratégicos, o melhor é optar por pagar as dívidas com maiores taxas de juros em primeiro lugar, evitando que elas continuem aumentando de forma excessiva. Você também pode considerar substituí-las por alternativas mais baratas, ou seja, com juros que sejam mais em conta. 

Um exemplo consiste em obter um empréstimo pessoal para quitar o valor de uma fatura atrasada do cartão de crédito. Considerando que os juros do cartão costumam ser mais elevados que os de um empréstimo, essa troca evita que a dívida continue a se multiplicar.

Saiba Mais: Troque dívidas caras por outras mais baratas

4. Negocie condições para sair do vermelho 

Agora que você sabe quais dívidas priorizar, é preciso buscar soluções para se livrar delas de forma definitiva. Para tanto, uma dica interessante é negociar condições de pagamento junto aos credores. Isso pode colaborar com o aumento da sua capacidade de recuperação financeira. 

Desse modo, busque cada credor e verifique a possibilidade de obter descontos em relação ao valor que ainda é devido. O fato de saber como organizar suas finanças é útil porque permite que você encontre o quanto pode destinar, efetivamente, para os pagamentos. 

Aqui, é importante ter atenção à disponibilidade financeira porque a quitação das dívidas deve se encaixar no orçamento. Sem isso, há riscos de que você apenas crie outras dívidas, sem conseguir resolver o problema. Ademais, os novos atrasos podem abalar a confiança do credor para futuras negociações.

Saiba Mais: Como renegociar as dívidas com a redução nos juros do Brasil?

5. Monte uma reserva de emergência 

Existem diversos motivos que podem fazê-lo ficar endividado e com problemas para equilibrar o orçamento. Considerando que os imprevistos são uma das razões para a situação, é interessante montar uma reserva de emergência

O ideal é que ela seja formada por um montante equivalente a 6 meses dos seus gastos médios mensais. Dessa forma, você contará com proteção para a maior parte das situações. 

Esse é um meio de se proteger de situações atípicas, como a perda de emprego ou um gasto extra elevado. Como consequência, há menos chances de você se endividar para resolver problemas ocorridos dessa maneira. 

Além disso, como a reserva exige economia, conseguir criá-la demonstra que você teve sucesso na tarefa de planejar e controlar seu orçamento. Portanto, é um bom indício de que suas finanças podem ser equilibradas em breve.

Saiba Mais: 6 Dicas para criar sua reserva de emergência em 2022

6. Comece a fazer investimentos 

Tão importante quanto sair do vermelho é agir para conseguir uma vida financeira cada vez mais saudável e estável. Considerando que você terá um planejamento financeiro que prevê a economia, há como usar isso a seu favor e começar a investir dinheiro. 

Com a escolha de ativos e outros produtos financeiros, você pode montar uma carteira que ajude a rentabilizar seu dinheiro. Essa é uma forma de aumentar seu patrimônio e de facilitar o alcance de objetivos financeiros. 

Entretanto, para começar a investir, é importante conhecer os investimentos da renda fixa e da renda variável. No primeiro caso, você sabe quais são as regras de remuneração e tem uma ideia do quanto receberá. Na segunda classe, não há garantias ou previsibilidade, o que aumenta os riscos. 

Assim, também é necessário conhecer a sua tolerância ao risco. Ela é dada pelo chamado perfil de investidor, que pode variar de conservador a moderado e arrojado. Ao identificar em qual você se encaixa, é possível tomar decisões condizentes e montar sua carteira de investimentos.

Saiba Mais: Quais os melhores investimentos para alocar a reserva de emergência

7. Evite novas dívidas 

Com essas orientações, você terá a chance de sair do vermelho. Porém, é preciso transformar seus hábitos para se manter em uma situação positiva. Nesse caso, o ponto principal envolve evitar a criação de outras dívidas. 

Dar prioridade às compras à vista e manter a reserva de emergência nos níveis recomendados são pontos que se destacam nas medidas de prevenção. Além disso, é fundamental aumentar o nível de educação financeira para manter o bom desempenho do seu orçamento. 

Ao adotar essas 7 dicas para sair do vermelho, você tem a chance de organizar as finanças pessoais, sair das dívidas e começar a construir um futuro financeiro melhor. Ademais, com o apoio dos investimentos, você também poderá compor e ampliar seu patrimônio.

Saiba Mais: Evite se endividar se você tem dinheiro poupado

Para ter acesso a diferentes investimentos e compor sua estratégia de forma completa, abra sua conta conosco e venha ser genial! 

Comentários