Muitos investidores ainda não conhecem a possibilidade que o mercado oferece de investir em empresas e ativos internacionais. Para aproveitar os benefícios dessa prática, é importante saber como escolher os melhores BDRs.

Afinal, em termos de negócios, as bolsas de outros países oferecem uma diversidade maior do que a brasileira. Nos Estados Unidos, por exemplo, existem inúmeras alternativas para quem deseja investir no exterior.

A boa notícia é que a bolsa brasileira oferece alternativas que não envolvem a burocracia de abrir conta em outro país e fazer remessas de câmbio. Uma delas trata dos brazilian depositary receipts (BDRs). Você já conhece essa possibilidade?

Neste artigo, nós, da Genial Investimentos, explicaremos o que são, quais as vantagens e como escolher os melhores BDRs para a sua carteira. Continue a leitura e confira!

O que são BDRs?

A sigla BDR, que em inglês significa brazilian depositary receipt, pode ser entendida em português como certificados de depósito de valores mobiliários. Trata-se de certificados emitidos no Brasil por instituições financeiras nacionais.

Eles podem ser lastreados em ações de empresas estrangeiras, ETFs (exchange traded funds) e títulos de dívidas do exterior. Portanto, são definidos como uma alternativa de investimento internacional.

Além disso, cada BDR está vinculado a um ativo e é negociado na bolsa de valores brasileira. Assim, as negociações ocorrem na própria B3, sem a necessidade de abrir conta em instituições do exterior, por exemplo.

Porém, é importante ter em mente que, ao comprar um BDR, você não está adquirindo o ativo ao qual ele está lastreado diretamente. Esse é um investimento indireto.

Na verdade, os certificados são emitidos por instituições financeiras nacionais que trazem para os investidores brasileiros os espelhos dos valores mobiliários estrangeiros.

Como acontece a emissão dos certificados?

Para entender o que são BDRs, também é importante aprender como eles são emitidos. A instituição financeira que atua no Brasil, chamada de depositária, compra os ativos internacionais. Essas negociações ocorrem na bolsa estrangeira, onde eles são originalmente negociados.

Após a compra, os valores mobiliários ficam bloqueados para que a instituição depositária possa vender os certificados lastreados neles. Nesse momento, há a atuação do agente custodiante, que é o responsável pelo bloqueio dos ativos.

 É a partir desse processo que os BDRs podem ser emitidos e negociados com os investidores brasileiros no pregão da B3. Porém, a relação com os ativos cabe à instituição depositária — como você entenderá a seguir.

Imagine que o BDR que você adquiriu está lastreado à ação de uma empresa estrangeira (ou mesmo brasileira listada em bolsa internacional). Se houver distribuição de dividendos, o agente depositário é o responsável por fazer a redistribuição para os investidores.

Também é a instituição que acompanha os relatórios financeiros dos ativos. Por esse motivo, uma das funções da depositária é repassar as informações relevantes para quem possui os BDRs. Vale saber que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) organiza e fiscaliza as emissões dos certificados no Brasil, prezando pela segurança do processo.

Como funcionam os BDRs?

Sabendo como os BDRs são emitidos, fica mais fácil compreender como essa alternativa funciona. Após comprar e manter o valor mobiliário depositado em uma instituição custodiante, a empresa depositária deve registrar um programa de distribuição dos certificados junto à CVM.

Após esse processo, ela poderá emitir os recibos no território nacional. É imprescindível que o agente depositário tenha bastante cuidado para que não aconteça o desencontro entre o número de ativos e de BDRs negociados no Brasil.

Como os BDRs podem ser lastreados em ações de empresas internacionais, ou mesmo companhias brasileiras que optaram por abrir capital no exterior, eles trazem diversas oportunidades.

Por meio deles, é possível investir em negócios como:

Quais são os tipos de BDRs disponíveis no mercado?

Existe mais de um tipo de BDR disponível na bolsa de valores brasileira: os patrocinados e os não patrocinados. Na prática, essa classificação tem maior relação com os certificados que espelham ações de empresas no exterior.

Também há uma divisão em níveis diferentes, de acordo com alguns critérios. Saiba mais sobre cada um deles a seguir:

BDRs patrocinados

Os BDRs patrocinados são aqueles em que a própria empresa emissora das ações demonstrou interesse em oferecer seus ativos no mercado brasileiro. Para isso, ela pode contratar uma instituição depositária para disponibilizar os BDRs.

Esse tipo de recibo pode ser de nível I, II ou III, dependendo da forma de distribuição e do volume de informações oferecido aos investidores. No nível I, não é necessário que a empresa estrangeira tenha registro na CVM e os certificados são negociados em um balcão específico.

Esse nível também obriga a instituição depositária a repassar aos investidores todas as informações que a companhia divulgar no seu país de origem. Nos demais níveis, a companhia deve fazer o registro na CVM.

Com isso, os BDRs podem ser negociados no pregão normal da B3. Ademais, para a comunicação com os investidores, é necessário seguir as regras de transparência brasileiras.

BDRs não patrocinados

Já os certificados de depósito de valores mobiliários não patrocinados são aqueles em que o interesse em oferecer BDRs no Brasil não partiu de empresas listadas em bolsas do exterior. Eles são os mais comuns na bolsa de valores.

Logo, a instituição depositária é quem tem a iniciativa de adquirir os ativos e emitir certificados lastreados neles. Eles são considerados sempre de nível I e a instituição depositária é responsável por fornecer informações para os investidores brasileiros.

Quais são as oportunidades que os BDRs podem trazer aos investidores?

Quem decidir utilizar BDRs para compor sua carteira de investimento pode usufruir de diversos benefícios. Além de trazer mais diversificação e proteção, essa pode ser uma forma de ampliar as possibilidades de obter resultados positivos com os investimentos e reforçar seu patrimônio.

Confira algumas vantagens de investir em certificados de depósito de valores mobiliários:

Acesso a ativos estrangeiros

Uma vantagem dos BDRs é poder aproveitar o potencial de resultado de ativos internacionais. Se você tem interesse em lucrar com a performance de grandes empresas mundialmente reconhecidas, por exemplo, essa pode ser uma oportunidade.

Além disso, é possível utilizar os BDRs para se expor a economias globais mais fortes do que a brasileira. Porém, também existem outras alternativas que podem atender às suas expectativas ao investir na bolsa com foco no exterior, como os ETFs (ou fundos de índice).

Eles são bastante comuns no mercado norte-americano, por exemplo. Porém, nesse caso, eles espelham índices específicos, replicando uma carteira teórica de ativos— que pode ser estrangeira.

Diversificação

O investimento em BDR pode proporcionar mais diversificação para a sua carteira. Apesar de toda a negociação ocorrer diretamente na B3, seu dinheiro estará atrelado a ativos internacionais. Ou seja, ele estará exposto a economias descorreladas da nossa.

Assim, você pode mitigar os riscos e aumentar a rentabilidade da sua carteira à exposição internacional. Ao investir apenas em ativos brasileiros, seu patrimônio estará muito mais vulnerável a problemas que podem ocorrer no mercado nacional. Os investimentos em BDRs providenciam acesso a setores e indústrias que não estão disponíveis no mercado brasileiro. Por exemplo: Moderna (vacina da covid-19), Intel (semicondutores), etc.

Cabe ressaltar que o investimento em BDRs providenciam acesso a setores e indústrias que não estão disponíveis no mercado brasileiro. Por exemplo: Moderna (vacina da covid-19), Intel (semicondutores), etc. Além disso, conta com segurança institucional. Afinal, a CVM fiscaliza o processo de emissão dos certificados. Isso garante que as regras serão cumpridas e que tudo será negociado de forma legítima e protegida.

Praticidade

Outro ponto positivo do BDR é ser uma forma prática de começar a investir no exterior. Para fazer o investimento não é necessário ter conta em uma instituição financeira estrangeira. Também não há burocracias em relação à remessa de câmbio, até setembro de 2020 os BDRs eram apenas acessíveis para investidores qualificados (+ $1M).

Desse modo, é possível otimizar o tempo entre escolher o melhor BDR e fazer o investimento. Isso porque, embora represente ativos estrangeiros, todo o processo de compra e venda é feito na bolsa brasileira, de forma online e em reais.

Ou seja, não há barreiras de idiomas ou exigências complexas para realizar o investimento. Com escolhas adequadas e alinhadas às suas necessidades, é possível unir diversificação, praticidade e possibilidade de rentabilidade.

E quais são os riscos envolvidos?

Antes de fazer qualquer investimento, é fundamental analisar também os riscos aos quais você estará exposto. O primeiro ponto de destaque é que os BDRs são alternativas de renda variável, o que significa maiores riscos por causa da volatilidade.

Acontecimentos que afetam o mercado original dos ativos aos quais os certificados estão lastreados ou toda a economia global podem impactar os seus resultados. Para mitigar esse problema, é necessário ter uma boa estratégia de investimento, alinhada ao seu perfil e objetivos.

Também existe o risco associado à variação cambial. Movimentos de forte queda no dólar, por exemplo, podem impactar o seu potencial de retorno, considerando a conversão. Portanto, é muito importante ter atenção a esses pontos antes de tomar uma decisão de investimento.

Como escolher os melhores BDRs para a sua carteira?

Após conhecer mais sobre o tema, você pode se interessar em escolher os melhores BDRs para compor a sua carteira de investimentos. Confira algumas dicas para tomar decisões mais acertadas:

Conheça seu perfil de investidor

O perfil de investidor considera o nível de risco que você aceita enfrentar em um investimento. Como você já sabe, os BDRs são alternativas de renda variável, portanto, a rentabilidade não é garantida no momento do aporte.

Logo, o investidor fica exposto à volatilidade dos certificados ao longo do tempo. Por esse motivo, é essencial ter maior tolerância ao risco antes de optar por escolher os melhores BDRs para a sua carteira.

Defina seus objetivos

Tão importante quanto conhecer o seu perfil de investidor é definir objetivos financeiros para o investimento em certificados de depósito de valores mobiliários. Devido à volatilidade no curto prazo, essa alternativa pode ser mais adequada para metas mais longas.

Também pode ser uma opção para quem busca eventuais distribuições de dividendos. Contudo, lembre-se de que nem todos os BDRs pagam dividendos.

Além disso, é essencial que você tenha conhecimento sobre o mercado financeiro e tenha compreendido o funcionamento dos BDRs antes de investir.

Estude as alternativas disponíveis

Como foi possível aprender, os BDRs podem ser lastreados em diferentes ativos, como ações de empresas globais, ETFs e títulos de dívida internacional.    Portanto, é interessante estudar todas as alternativas antes de investir.

Uma possibilidade é recorrer a relatórios sobre o assunto elaborados por analistas profissionais da área financeira. Isso pode ajudar a entender as características e os pontos mais relevantes dos certificados.

Conheça a empresa internacional na qual você pretende investir

Antes de investir, não deixe de conferir quem é a instituição depositária. Analise também as características de cada BDR. Se você optar por certificados lastreados em ações, é importante fazer uma avaliação do mercado e conhecer a empresa internacional na qual você pretende investir.

Para isso, é possível fazer uma análise de fundamentos para verificar suas perspectivas para o futuro. Isso é ainda mais relevante se o seu foco está no longo prazo, visando observar o potencial de retorno.

Abra conta em uma corretora de valores

Depois de conferir as características e os diferenciais dos BDRs e analisar o seu perfil e objetivos, é possível começar a investir. Se acredita que a alternativa é interessante para as suas necessidades, abra conta em uma corretora de valores e busque pelos certificados disponíveis no home broker.

Para isso, basta digitar o ticker do BDR de interesse. Depois, selecione a quantidade que deseja adquirir e emita uma ordem de compra na bolsa de valores. Quando ela for liquidada, os certificados passarão a compor seu portfólio.

Diversifique a carteira de investimentos

Já mostramos que a diversificação é uma das vantagens de fazer investimentos no exterior. Contudo, ela também deve compor sua estratégia. Para isso, você pode mesclar alternativas com exposição ao mercado interno àquelas ligadas ao mercado externo.

Também vale considerar o investimento em diferentes ativos. Em vez de escolher apenas BDRs lastreados em ações, por exemplo, pode ser interessante optar por aqueles com diferentes lastros. Em todos os casos, as decisões devem ser adequadas às suas expectativas e necessidades, de forma a favorecer a composição da carteira.

Agora você sabe que investir no exterior pode ser acessível a qualquer investidor brasileiro. Com isso, é possível diversificar a carteira e expor parte do seu patrimônio a outras economias. Mas lembre-se de fazer análises e considerar o seu perfil de investidor e os seus objetivos antes de investir nos melhores BDRs!

Quer começar a investir? Abra a sua conta na Genial Investimentos e dê o primeiro passo para compor um portfólio personalizado e alinhado às suas necessidades!

Comentários