A proteção patrimonial é um tema importante para quem busca ter mais segurança e alcançar estabilidade financeira no longo prazo. Afinal, o capital construído ao longo dos anos pode ser ameaçado por diversos fatores externos.

Entre essas causas estão as mudanças políticas, econômicas e jurídicas, além de eventos imprevisíveis que podem impactar o dinheiro. Assim, para garantir a proteção do patrimônio, é fundamental adotar uma estratégia que considere, além do retorno financeiro, a segurança do capital.

Quer entender como é possível proteger o seu patrimônio? Então continue a leitura e veja quais estratégias podem ser utilizadas nessa tarefa!

Vamos lá?

O que é patrimônio?

O conceito de patrimônio engloba o conjunto de bens e direitos de uma pessoa ou empresa, que possuem valor econômico e podem ser convertidos em dinheiro. Desse modo, ele inclui ativos tangíveis, como imóveis e veículos, e ativos intangíveis, como marcas e investimentos.

Além disso, é importante incluir as obrigações financeiras no patrimônio, pois elas entram como os passivos. Ao subtrair as dívidas do total de bens, é possível encontrar o valor de patrimônio líquido.

Fazer essa distinção é essencial porque ela mostra a real capacidade financeira de uma pessoa ou empresa. Por exemplo, um indivíduo pode ter um patrimônio bruto de alto valor de mercado e obrigações financeiras também elevadas.

Com isso, se ele vendesse todos os seus bens e pagasse suas dívidas, o valor do patrimônio líquido poderia ser bem abaixo do bruto.

O que é a proteção patrimonial e como funciona?

Você aprendeu que o patrimônio envolve tanto os bens quanto as obrigações financeiras. Agora, é o momento de descobrir o que é a proteção patrimonial. Ela consiste em um conjunto de práticas para assegurar os bens e os recursos financeiros de uma pessoa ou empresa.

Quanto aos investimentos, ela inclui as medidas para proteger seu capital de perdas e para diminuir os riscos potenciais. Então a proteção patrimonial pode englobar a diversificação de investimentos, o uso de instrumentos de hedge e a seleção de alternativas com fundamentos financeiros mais sólidos, entre outras práticas.

Ademais, ela apresenta métodos para proteger o patrimônio de processos judiciais, credores, golpes, fraudes, mudanças políticas e econômicas e outras situações. Ou seja, a estratégia visa prevenir ou minimizar qualquer ameaça ao capital construído, tanto no presente quanto no futuro.

Por fim, vale destacar a diferença entre os termos proteção patrimonial e blindagem patrimonial que, apesar de serem utilizados como sinônimos, apresentam distinções. Enquanto a segunda envolve práticas de reação após o surgimento de crises, problemas ou ameaças, a proteção foca na prevenção desses quadros.

Qual é a importância de proteger seu patrimônio?

Além de saber o que é a proteção patrimonial, é fundamental compreender a importância de aplicar essa prática na sua vida financeira. Afinal, ninguém deseja perder o seu capital financeiro, não é mesmo?

Dessa forma, vale a pena conhecer as vantagens de aderir à estratégia. Veja!

Assegurar o patrimônio

Como você viu, um patrimônio está exposto a diversos riscos, como aqueles atrelados às questões fiscais, legais, familiares, empresariais e do mercado. Essas ameaças podem levar à perda total ou parcial dos bens e direitos e podem comprometer a estabilidade financeira.

Nesse contexto, a proteção patrimonial permite adotar medidas preventivas para proteger os bens e direitos contra possíveis perdas. Logo, essas medidas permitem que o patrimônio fique resguardado.

Facilitar a sucessão patrimonial

A proteção patrimonial também pode atuar na sucessão de patrimônio, já que ela permite organizar o processo e definir a partilha, antes mesmo do falecimento do proprietário do patrimônio. Ela facilita o processo, diminuindo os riscos de conflitos e problemas entre os herdeiros.

Reduzir os custos fiscais

Entre as práticas de proteção de patrimônio há processos relacionados às obrigações fiscais. Eles visam reduzir legalmente a incidência de tributos, além de manter a pessoa ou a empresa em dia com o Fisco. Como resultado, há chances de evitar problemas como multas e garantir a regularidade fiscal.

Gestão financeira mais eficiente

A proteção patrimonial também contribui para uma gestão financeira mais eficiente. O motivo para isso é que ela permite manejar o dinheiro para prevenir perdas e otimizar o potencial de ganhos. Portanto, a estratégia colabora com a preservação do patrimônio para as gerações futuras ou para a continuidade do negócio.

Quem deve fazer uma proteção patrimonial?

Ao saber a importância de fazer a proteção patrimonial, é possível que você tenha dúvidas sobre quem deve aplicar essa estratégia. Isso porque muitas pessoas entendem que somente empresas e indivíduos com alto valor patrimonial devem se preocupar com essa questão.

No entanto, essa proteção é relevante para qualquer pessoa que possua um patrimônio significativo. Na verdade, não existe um valor mínimo ou máximo de bens e direitos acumulados para se adotar medidas preventivas de proteção patrimonial.

Contudo, quanto maior for o patrimônio, maior é o risco de perda e, consequentemente, mais necessário é adotar medidas de proteção. Nesse cenário, é ainda mais relevante se preparar para lidar com situações de risco e adotar medidas preventivas para garantir a segurança e a estabilidade financeira.

Quais são as formas de fazer uma proteção patrimonial?

Agora que você já sabe que qualquer pessoa com patrimônio significativo deve realizar a proteção patrimonial, é necessário entender quais são as formas de fazer isso.

A seguir, confira os principais passos para proteger o seu patrimônio!

Invista o seu dinheiro

Para começar, é interessante saber a importância de investir para proteger o seu patrimônio, já que muitas pessoas acumulam dinheiro, mas não fazem com que ele se multiplique. Nesse caso, ao longo do tempo, a inflação pode corroer o patrimônio, gerando a perda do poder de compra.

Ao investir, você permite que o seu patrimônio possa crescer e se valorizar com o tempo, diminuindo os efeitos da inflação e facilitando o alcance de seus objetivos financeiros de longo prazo. Além disso, os investimentos podem proporcionar rendimentos periódicos, aumentando a proteção financeira.

Outra vantagem dos investimentos é que eles podem ser utilizados para fins de planejamento sucessório. Isso ocorre porque algumas alternativas possibilitam a transmissão do patrimônio para as gerações futuras com menor impacto tributário e maior proteção contra disputas familiares.

Estude o mercado financeiro

Para aumentar a probabilidade de proteger seu patrimônio ao fazer investimentos, é preciso estudar o mercado financeiro, pois ele é um ambiente dinâmico e sujeito a flutuações. Assim, as alternativas que parecem seguras em um determinado momento podem se tornar arriscadas em outro período.

Portanto, é essencial realizar uma análise de mercado regularmente. O objetivo é avaliar as tendências, oportunidades, alterações em regulamentos e riscos de investimento. Com isso, você pode se preparar para tomar decisões estratégicas para proteger seu patrimônio.

Considere a Previdência Privada

Entre as alternativas que podem ajudar na proteção patrimonial está a Previdência Privada, que é uma modalidade de investimento de longo prazo. Ela é composta por duas etapas, sendo a primeira relacionada à formação de uma reserva financeira para o futuro por meio de aportes frequentes.

Já a segunda fase de uma Previdência Privada é a de usufruto, na qual você pode escolher como deseja receber o patrimônio acumulado. Nesse momento, você pode obter todo o capital uma vez, uma renda mensal temporária ou uma renda vitalícia.

Desse modo, a alternativa pode ser utilizada como complemento à aposentadoria pública ou para atender a outros objetivos financeiros de longo prazo. Esse investimento também pode ajudar a proteger o seu patrimônio contra a inflação.

Isso ocorre porque ele oferece opções de rendimentos que buscam manter o poder de compra do patrimônio ao longo do tempo. Porém, é preciso observar cada plano de Previdência Privada para verificar o potencial de ganhos e os riscos associados.

Ademais, em caso de morte do titular, os beneficiários indicados podem receber o valor acumulado do investimento, a depender das condições do plano e do momento da morte, o que contribui para proteger o patrimônio da família durante crises financeiras.

Nesse cenário, a Previdência Privada também pode ser utilizada como uma forma de planejamento sucessório. Ela permite realizar a transmissão do patrimônio de forma mais segura e eficiente para as gerações futuras, com menor custo tributário.

Analise a possibilidade de criar fundos exclusivos

Outra solução para proteger o patrimônio, principalmente de famílias com capital elevado, é o fundo de investimento exclusivo. Ele funciona de modo semelhante a um fundo convencional, sendo um veículo financeiro composto pelo capital social dos investidores.

No entanto, esse tipo de fundo tem um único cotista. Como é possível criar um CNPJ próprio para esse fundo, é possível desvincular o capital da pessoa física e jurídica, protegendo o patrimônio.

Avalie a contratação de seguros

Mais uma forma de proteger o seu patrimônio é por meio do seguro de vida, que favorece a estabilidade financeira dos beneficiários se ocorrer a morte do titular. O produto funciona como uma espécie de rede de proteção financeira para os dependentes.

Com isso, o seguro pode ajudar a pagar as despesas cotidianas e a manter o padrão de vida, mesmo na ausência do provedor principal.

Ainda, o seguro de vida não faz parte do inventário. Isso leva a uma liberação mais rápida, o que faz com que os beneficiários não precisem se desfazer do patrimônio para manter o sustento até se estabilizarem.

Outro ponto importante é que, caso o titular tenha dívidas, como empréstimos e financiamentos que impactarão na patrulha de bens, os beneficiários podem utilizar a indenização para quitar os débitos. Dessa maneira, é possível proteger o patrimônio da cobrança dos credores.

Diversifique seus investimentos

Para cuidar bem do seu patrimônio não basta investir o dinheiro: é preciso diversificar os investimentos. A estratégia serve para mitigar os riscos, evitando que o investidor perca todo o seu capital com um eventual mau desempenho de sua carteira.

Para isso, a estratégia prevê o investimento em alternativas expostas a diferentes riscos, mercados, setores e classes. Ao adotar a prática, o eventual prejuízo de um ativo pode ser compensado pelo possível bom resultado de outro, por exemplo.

A diversificação parte do princípio de não colocar os ovos em uma só cesta. Ou seja, de não confiar todo o dinheiro em um único investimento porque, se essa alternativa falhar, perde-se todo o capital investido.

Internacionalize a sua carteira

A internacionalização da carteira significa incluir investimentos expostos a mercados estrangeiros. Essa estratégia também faz parte da diversificação, já que você pode expor o seu portfólio a outros riscos.

Com a internacionalização, é possível proteger o seu patrimônio dos riscos internos, ou seja, daqueles que acontecem apenas no Brasil. Por exemplo, imagine que haja uma crise econômica que afete o mercado financeiro brasileiro, fazendo com que a cotação da maioria dos ativos diminua.

Se você tiver ativos atrelados ao mercado norte-americano, eles, provavelmente, não serão afetados por essa crise brasileira. Logo, você não terá prejuízos em toda a sua carteira. Ao mesmo tempo, os eventuais ganhos desses investimentos podem ajudar a equilibrar as perdas.

Também vale destacar que a internacionalização permite aproveitar o eventual bom desempenho de países com moedas fortalecidas, como os Estados Unidos. Dessa maneira, você pode obter proteção cambial, se blindando de uma eventual desvalorização do real, por exemplo.

Tenha uma reserva de emergência

A reserva de emergência é um montante destinado a cobrir os gastos imprevistos, como a perda da renda, uma urgência médica ou o conserto do carro. De modo geral, ela deve corresponder a, pelo menos, 6 meses do seu custo de vida.

Além disso, a reserva precisa ser investida em uma alternativa segura e líquida, como o Tesouro Selic ou certificados de depósito bancário (CDBs) de liquidez diária. Afinal, esse dinheiro deve estar resguardado e disponível para o uso a qualquer momento.

Isso permitirá passar pelos imprevistos com maior tranquilidade e, muitas vezes, sem precisar reduzir o padrão de vida. Perceba, então, que a reserva de emergência serve como proteção patrimonial por ajudar a evitar que os seus bens precisem ser vendidos com urgência para custear as despesas inesperadas.

Ao seguir essa dica, você previne a perda de dinheiro ao resgatar um investimento antes do prazo de vencimento ou ao vender suas ações em um período de baixa valorização delas, por exemplo.

Estude a possibilidade de criar uma holding patrimonial

As holdings patrimoniais são empresas cuja atividade é a administração de bens e direitos. Elas podem ser criadas para que o patrimônio dos sócios deixe de ser vinculado a uma pessoa física e passe a compor o capital social da empresa.

Como resultado, a organização passa a ser proprietária do patrimônio que, por sua vez, é regido pelo Direito Empresarial. A medida permite reduzir o impacto de problemas individuais no patrimônio familiar.

Vale destacar que as holdings têm outras funções, como a distribuição da herança para os beneficiários do sócio em caso de falecimento.

Quais são os riscos de não proteger seu patrimônio?

Além de entender a importância da proteção patrimonial, é fundamental ter em mente os riscos de não aplicar esse conjunto de estratégias. Com esse conhecimento, você poderá compreender quais são as consequências que você e sua família podem sofrer.

Confira, na sequência, quais são os riscos de não realizar a proteção patrimonial!

Risco ampliado de perdas

Sem medidas adequadas de proteção patrimonial, você pode estar exposto a perdas significativas em seus investimentos e no capital em geral. Isso pode ocorrer devido à volatilidade do mercado, eventos econômicos inesperados ou outras circunstâncias imprevistas.

Risco de tributação excessiva

O patrimônio não protegido também pode estar sujeito à tributação excessiva, o que pode resultar na redução do retorno sobre o investimento e dilapidação do patrimônio. Portanto, é preciso realizar ações no para diminuir a incidência de impostos e proteger seus investimentos.

Risco de fraude

Todas as pessoas e empresas estão sujeitas às fraudes, que podem ocorrer de diversas formas. Entre elas estão os golpes financeiros, manipulação de documentos e registros contábeis, falsificação de identidade e outras questões.

Entretanto, com uma boa estratégia de proteção patrimonial, você reduz a probabilidade que um problema do tipo cause perdas financeiras irreparáveis.

Risco legais

Ao ter um patrimônio significativo e lidar com credores e atividades empresariais, por exemplo, o seu capital fica exposto a riscos legais. Entre essas ameaças estão as ações de credores, dívidas fiscais e os litígios relacionados a atividades empresariais.

Assim, se você enfrentar uma ação judicial, por exemplo, os seus ativos podem ser ameaçados. Por essa razão, é preciso se preparar e proteger o patrimônio desse tipo de perda.

Como começar a proteger seu patrimônio?

Como você viu, investir é uma das formas de colocar a proteção patrimonial em prática. Por isso, é fundamental saber como realizar investimentos que possam ajudar a manter a segurança do seu patrimônio e que, ao mesmo tempo, ajudem a multiplicá-lo.

Confira os principais passos para fazer investimentos visando a proteção patrimonial!

Identifique o perfil de investidor

O perfil de investidor mensura a sua tolerância aos riscos segundo as suas preferências, expectativas, conhecimento e comportamento diante dos investimentos. Ele é identificado por meio do teste de suitability, que pode ser feito ao abrir sua conta na Genial, por exemplo.

Ao responder o questionário, você receberá o resultado apontado em um dos três seguintes perfis de investidor:

Conservador

Os investidores conservadores possuem baixo nível de tolerância aos riscos e preferem investimentos mais seguros, como títulos de renda fixa e fundos dessa classe. Então eles priorizam a segurança em seus investimentos e estão dispostos a aceitar um retorno menor em troca de mais previsibilidade.

Moderado

Os investidores moderados possuem um nível médio de tolerância ao risco e podem buscar uma carteira de investimentos mais diversificada. Dessa maneira, ele elabora o seu portfólio ao combinar investimentos de renda fixa e variável, buscando equilibrar a segurança com o potencial de obter retornos maiores.

Arrojado

Por fim, os investidores arrojados possuem uma alta tolerância ao risco e costumam preferir investimentos de renda variável, como ações e fundos de investimento de alta volatilidade. Dessa maneira, eles estão dispostos a assumir riscos elevados em busca de retornos maiores.

Vale destacar que o perfil de investidor não é fixo e pode mudar ao longo do tempo. Entre os fatores que podem levar a essa mudança estão a alteração da situação financeira e das necessidades do investidor, além do nível de conhecimento e confiança no mercado financeiro.

Por isso, é fundamental revisar periodicamente o perfil de investidor e adequar os investimentos conforme as mudanças no perfil e nas condições de mercado.

Determine os objetivos financeiros

Os objetivos financeiros são as metas que você pretende alcançar ao investir o seu dinheiro. Eles podem ser de curto, médio ou longo prazo e devem ser definidos com base nas necessidades e prioridades de cada investidor.

Além disso, é fundamental que os objetivos sejam realistas e alcançáveis, considerando a renda, as despesas, o estilo de vida e o perfil de investidor. Para defini-los, é necessário seguir alguns passos como:

  • estabeleça metas financeiras realistas e específicas, como a compra de um imóvel, a realização de uma viagem, a aposentadoria ou a criação de uma reserva de emergência;
  • determine o prazo de cada objetivo para estabelecer um planejamento mais preciso. Por exemplo, se você quer comprar um imóvel em 5 anos, é possível calcular quanto dinheiro será preciso economizar a cada mês para atingir essa meta;
  • calcule os custos envolvidos em cada objetivo, incluindo impostos, taxas, juros e outras despesas. Isso ajuda a ter uma ideia mais precisa do valor necessário para alcançar cada meta.

Por fim, lembre-se de que os objetivos financeiros devem ser revisados e atualizados regularmente, de acordo com mudanças na situação financeira e nas prioridades pessoais.

Monte a sua carteira de investimentos

Com o seu perfil de investidor identificado e os seus objetivos financeiros definidos, é o momento de montar a sua carteira de investimentos prevendo a proteção patrimonial. Para começar, independentemente do resultado do seu perfil, é imprescindível ter uma reserva de emergência.

Ademais, para fins de proteção de patrimônio, pode ser interessante aplicar parte dos recursos na renda fixa. Afinal, a previsibilidade de retorno e as garantias de alguns títulos costumam ser interessantes para a proteção patrimonial.

Também vale destacar a importância de aplicar a diversificação de carteira que, como você viu, contribui para proteger os seus investimentos de eventuais perdas expressivas.

Escolha uma corretora de valores confiável

A corretora de valores é a instituição por meio da qual você realizará seus investimentos, depositando o dinheiro para fazer as transações. Por essa razão, é essencial que a corretora seja confiável e renomada no mercado, como a Genial Investimentos.

Assim, você evitar ser vítima de golpes e fraudes que podem afetar seu patrimônio. Ainda, há como ter acesso a uma grande variedade de alternativas do mercado financeiro, o que permite colocar sua estratégia em prática.

Neste post, você compreendeu o que é a proteção patrimonial e por que realizá-la, especialmente, em relação aos investimentos. Agora, você tem conhecimentos relevantes que podem ajudá-lo a elaborar um plano para proteger o seu patrimônio!

Você já sabe que é importante buscar uma plataforma de investimentos confiável para investir, não é? Então abra sua conta na Genial Investimentos e entre em contato com a nossa equipe de Wealth.

Genial Wealth

A equipe de Wealth Management é liderada por Claudio Massari que, ao longo de seus quase 40 anos de carreira, atuou na gestão de todas as classes de ativos financeiros, locais e globais. Tendo tido também marcante atuação no universo de private equity. Mais Informações: genial.wealth@genial.com.vc

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!