O cartão de crédito é utilizado por inúmeros brasileiros, porém nem todos sabem como usar esse meio de pagamento corretamente. Por conta disso, é comum observar diversas pessoas com dívidas e dificuldades para manter as faturas em dia.

Para quem deseja ter uma vida financeira organizada, tranquila e equilibrada, essas são situações que definitivamente devem ser evitadas. Afinal, elas prejudicam o orçamento, resultam em pagamentos de juros e taxas, além de outros problemas.

Se você quer saber como usar o cartão de crédito de maneira segura, com responsabilidade e inteligência, confira as informações deste artigo.

Tenha uma ótima leitura!

O que é e como funciona um cartão de crédito?

Além do uso e da administração inadequada, muitas pessoas têm problemas com o cartão de crédito porque não entendem exatamente como é a sua dinâmica de funcionamento.

Por esse motivo, vale a pena compreender o que é um cartão de crédito e como ele funciona na prática. Dessa forma, você poderá utilizá-lo de modo mais adequado, evitando o endividamento, entre outros problemas financeiros.

O cartão de crédito consiste em um meio de pagamento. Com ele, é possível realizar diferentes tipos de transações financeiras, tanto online quanto presenciais, em lojas e estabelecimentos físicos.

A principal diferença desse cartão para outras alternativas disponíveis no mercado é que ele permite quitar compras e pagamentos somente no futuro. Então, se você precisa adquirir algum produto ou pagar uma conta, mas não tem o capital no momento, pode recorrer a esse tipo de cartão.

Ao ter um cartão de crédito, você recebe um determinado limite de gastos definido pelo emissor (instituição financeira) que fornece o crédito a você. Normalmente, você tem até 40 dias para quitar a quantia que gastou com esse meio de pagamento durante o período em questão, a depender da data de vencimento da fatura.

Logo, seu funcionamento é semelhante ao de um empréstimo, mas sem a cobrança de juros se você mantiver os pagamentos em dia. Ademais, vale ressaltar que o cartão de crédito possibilita fazer pagamentos parcelados.

Então você não precisa ter o montante total para comprar um determinado item, por exemplo. É possível quitá-lo de forma gradual, sendo que você deverá arcar com o pagamento das parcelas até a data de vencimento.

No exemplo a seguir, você entenderá a dinâmica do cartão de crédito de forma mais fácil e clara. Veja!

Exemplo prático

Suponha que você tenha um cartão de crédito, cujo limite é de R$ 2.000 e a data de vencimento dele é todo dia 7. No mês de dezembro, por conta do Natal, você recorreu a esse meio de pagamento para comprar alguns presentes para seus familiares.

No total, considere que você gastou R$ 1.540 até a data de fechamento da fatura. Sendo assim, até o dia 7 de janeiro, você deverá desembolsar esse montante para quitar a dívida do seu cartão, embora ainda exista um limite de gastos de R$ 460.

Caso você não faça o pagamento integral da fatura, você terá que pagar juros sobre o saldo devido. Se a situação se agravar, a instituição financeira ainda poderá inscrever o seu CPF nos órgãos de proteção ao crédito — o que significa que você ficará com o nome sujo.

Quais são as principais vantagens de utilizar o cartão de crédito?

Embora seja visto como um vilão por muitas pessoas, o cartão de crédito pode ser uma alternativa de pagamento bastante interessante. Com o uso apropriado dessa alternativa, você pode:

  • ter mais comodidade e praticidade para realizar pagamentos;
  • fazer pagamentos de forma instantânea (ao contrário de boletos, por exemplo);
  • aproveitar ofertas e condições especiais;
  • realizar aquisições de maneira parcelada;
  • participar de programas de benefícios;
  • fazer compras e pagamentos em outros países;
  • ter mais segurança, pois não precisa ficar circulando com dinheiro em espécie.

Como usar o cartão de crédito corretamente?

Como você viu, o mau uso do cartão de crédito pode resultar em diversos problemas para as suas finanças. Para evitar esses e outros transtornos, acompanhe a seguir os principais cuidados para se ter com esse meio de pagamento!

Estabeleça um limite pessoal

O cartão de crédito pode ser o aliado ou o vilão do seu planejamento financeiro. Tudo dependerá da forma como você o utilizará em seu dia a dia.

A primeira orientação para usá-lo corretamente em sua rotina é estabelecer um limite de gasto pessoal. Então, de acordo com as suas receitas e necessidades, defina quanto você gastará com esse meio de pagamento mensalmente.

Nesse sentido, o ideal é que os seus gastos com o cartão não ultrapassem 30% da sua renda. Ou seja, se você recebe R$ 3.000 por mês, por exemplo, você pode limitar as suas despesas mensais com o cartão de crédito a R$ 900, no máximo.

Não é porque a instituição financeira disponibilizou um limite mais elevado que você deverá utilizá-lo, certo? Ajuste os valores conforme a sua realidade e com o que consegue arcar sem se endividar. Seus gastos com o cartão não devem exceder a sua capacidade de pagamento no futuro.

Fique atento ao prazo de vencimento

Pagar a fatura do cartão de crédito sempre em dia é fundamental para evitar maiores problemas e transtornos financeiros. Diante disso, o segundo cuidado para usar esse meio de pagamento de forma adequada é ter atenção ao dia de vencimento do seu cartão.

Quando você atrasa o pagamento da fatura, é necessário pagar juros — por sua vez, eles costumam ser bem elevados. Como resultado, quanto mais tempo você demorar para quitar a dívida, maior ela se tornará. Então organize-se para não atrasar o pagamento da fatura do seu cartão.

Uma dica para isso é anotar em uma agenda ou configurar um lembrete em seu smartphone, por exemplo, para avisar sobre a data de vencimento. Dessa forma, você reduz as chances de esquecê-la e deixar o prazo passar.

Também é válido escolher uma data de vencimento que seja compatível com o dia do recebimento do seu salário, ok? Além disso, algumas instituições financeiras permitem colocar a fatura em débito automático. Desse modo, basta manter os recursos na sua conta que não haverá riscos de atraso no pagamento.

Acompanhe os gastos com o cartão

Por ser um meio de pagamento em que o dinheiro não sai da conta na hora da compra, muitas pessoas costumam passar o cartão de crédito de forma descontrolada. Depois, quando a fatura chega, podem surgir dificuldades financeiras.

Para evitar esse tipo de situação, acompanhe de perto os seus gastos com o cartão. É essencial saber quanto você gastou, o que você comprou e em que data a aquisição ou o pagamento foi realizado.

Ademais, vale a pena registrar se a compra foi à vista ou parcelada, com ou sem a incidência de juros. A partir desse controle detalhado, você saberá se a fatura está dentro do limite do seu orçamento. O próprio aplicativo da instituição financeira já auxilia nessa questão por meio do extrato, então não deixe de consultá-lo.

Inclusive, vale destacar que com esse acompanhamento mais próximo, você pode identificar eventuais cobranças indevidas. Embora não sejam tão frequentes, elas podem acontecer.

Tome cuidado com compras impulsivas

O cartão de crédito é um meio de pagamento que gera a falsa impressão de que há mais recursos à disposição e, por isso, pode-se gastar além do necessário. Porém, o limite que você tem não representa mais dinheiro em conta, pois ele não é uma renda extra.

Sendo assim, tome cuidado com as compras impulsivas. Sabe aqueles anúncios e propagandas de ofertas imperdíveis ou que apresentam produtos com até 70% de desconto? Naturalmente, elas atraem muitas pessoas.

Contudo, na maioria das vezes, você não precisa do item que está sendo comercializado. Trata-se apenas de uma técnica de venda que chamou a sua atenção. Para evitar gastos desnecessários que possam prejudicar o seu orçamento e aumentar a fatura do seu cartão, reflita sobre a compra.

Será que você realmente precisa do produto ou serviço anunciado? Se for uma compra online, uma dica é deixar o produto no carrinho e no dia seguinte voltar a acessá-lo. Com essa simples ação, talvez você já perceba que a compra seria apenas um gasto impulsivo.

Faça parcelamentos com prudência

Muitos consumidores optam por fazer compras de forma parcelada. Afinal, trata-se de uma alternativa que permite efetuar uma transação financeira sem comprometer todos os rendimentos mensais.

No caso, o pagamento é feito em parcelas mensais lançadas nas faturas, até que o montante total seja quitado. Em algumas situações, como para a compra de bens que possuem um preço elevado, o parcelamento é uma opção que faz sentido. Porém, é importante ter em mente que ela não deve ser utilizada para toda aquisição.

Isso porque enquanto o pagamento não for totalmente finalizado, você terá parcelas para pagar todos os meses. Na prática, elas se acumulam com outras contas, podendo gerar valores elevados no final do mês.

Portanto, faça parcelamentos com prudência. Antes de tomar qualquer decisão de compra, avalie se não é possível realizar o pagamento à vista. Se não for, verifique como você pode reduzir, ao máximo, o número de parcelas.

Isso porque o parcelamento longo, além de comprometer parte do seu orçamento mensal, deixa você mais vulnerável a imprevistos.

Imagine, por exemplo, que você tem três parcelas de diferentes produtos em aberto e acontece um problema com seu carro ou com a sua saúde. Naturalmente, será necessário gastar uma parte do seu dinheiro para lidar com essas situações.

Se você não tiver uma reserva de emergência para lidar com esse problema, o pagamento das faturas poderá ficar comprometido.

Compre apenas em lojas seguras

Como já é conhecido, infelizmente existem pessoas que tentam aplicar golpes financeiros — especialmente na internet. Essa situação, muitas vezes, está relacionada ao uso do cartão de crédito.

No caso, os criminosos roubam os dados do cartão e os utilizam para fazer compras, pagamentos, saques etc. Para você não ser vítima dessas ações, é importante comprar somente em lojas seguras.

Se você quiser adquirir um determinado produto em uma loja que não conhece, antes de informar os dados do seu cartão, pesquise sobre ela. Veja se de fato o site é confiável e se as suas informações estarão seguras.

Também vale a pena considerar o uso de um cartão virtual para fazer suas compras online. Trata-se de um cartão à parte, ligado ao seu dispositivo principal, que pode ser utilizado somente em transações pela internet — como sites e aplicativos.

Assim, caso algum contratempo aconteça em sua compra online, o seu cartão de crédito físico não será comprometido. Ele também pode ser ativado e desativado facilmente, evitando compras indevidas.

Em relação às compras físicas, para não cair em golpes, acompanhe a inserção do cartão na máquina e observe a quantia digitada no aparelho. Além disso, evite deixar o seu cartão na mão de terceiros.

Não acumule diversos cartões

Conforme você viu, o cartão de crédito é um meio de pagamento que possui um limite preestabelecido. Por conta dessa característica, é comum que muitas pessoas recorram a mais de um cartão, de modo a ter um limite maior à disposição.

Contudo, isso pode ser um grande risco. Se para muitas pessoas já é difícil administrar um único cartão de crédito, imagine lidar com diversos cartões desse tipo? As chances de ficar endividado são maiores.

Portanto, se possível, não acumule diversos cartões. Pesquise sobre as opções disponíveis no mercado e escolha aquela que melhor atende às suas necessidades e que oferece mais benefícios.

Conheça as taxas e juros do seu cartão

Diversas pessoas se envolvem em problemas e dívidas com o cartão de crédito, mas muitas delas não conhecem as taxas e juros praticados pela instituição financeira. Por isso, outro cuidado que você deve dar atenção ao ter um cartão desse tipo refere-se ao entendimento sobre as taxas e juros dele.

Dessa forma, você pode compreender quais as consequências e implicações de não manter as faturas em dia. Ademais, você poderá verificar como a sua dívida tende a aumentar, caso não seja quitada no prazo estabelecido.

Evite contratar cartões de lojas

Outra recomendação é evitar cartões de estabelecimentos comerciais. Além das alternativas tradicionais oferecidas por instituições financeiras, muitas lojas de departamento disponibilizam esse meio de pagamento aos seus clientes.

Se você contratar esses cartões, além de gerar um acúmulo deles, poderá estimular as compras por impulso e ocasionar um descontrole financeiro. Então vale evitar esse problema, não é mesmo?

Controle o limite do seu cartão

Ao ter um cartão de crédito, conforme explicado, você tem um limite específico para usar. Porém, é válido saber que com o passar do tempo ele pode ser alterado. Isso pode acontecer a partir de uma solicitação sua ou devido a uma decisão da própria instituição financeira.

Contudo, independentemente da situação, é fundamental que você controle o seu limite. Por exemplo, por conta de um bom uso do cartão, o seu banco pode aumentá-lo em R$ 1.000. Mas será que você realmente precisa dessa quantia a mais?

Antes de se empolgar com um eventual aumento de limite, reflita se ele de fato faz sentido e se é efetivamente necessário. Caso não seja, procure ajustá-lo e mantê-lo controlado.

Ainda, é essencial controlar os seus limites diante de situações pontuais. Imagine que devido a alguns problemas pessoais, você teve gastos que não estavam no seu planejamento. Nesse cenário, a sua renda tende a ser afetada.

Logo, talvez você não tenha recursos suficientes para arcar com o limite que tem no seu cartão de crédito. Aqui, reduzir o limite ajuda a evitar que a fatura fique muito elevada. Algumas instituições financeiras permitem fazer esse tipo de ajuste pelo próprio aplicativo.

Não empreste o seu cartão de crédito

Saiba que emprestar o seu cartão de crédito pode se tornar um grande problema, mesmo que você tenha boas intenções e queira ajudar pessoas próximas, como parentes e amigos.

Ao oferecer o cartão a outra pessoa, ela poderá utilizá-lo para diversas finalidades, inclusive para compras que não foram informadas. Ademais, é importante ter em mente que, mesmo que o gasto não seja seu, o dispositivo está em seu nome e a dívida será sua.

Ou seja, caso a pessoa não pague as compras conforme acordado, a dívida estará em seu nome. Isso significa que você precisará arcar com o valor ou poderá ter o seu nome negativado, além de prejudicar o seu relacionamento com a instituição financeira.

Portanto, evite emprestar o seu cartão de crédito. É melhor fazer isso do que ter as suas finanças prejudicadas por terceiros, não é mesmo? Vale destacar, ainda, que ao fazer esse empréstimo, o seu limite é afetado pelas compras realizadas pela outra pessoa.

Busque formas de zerar a anuidade

A anuidade consiste em um tipo de tarifa que as instituições financeiras cobram de seus clientes como uma forma de fazer a manutenção do cartão de crédito.

Contudo, hoje em dia, há diversas empresas que não fazem essa cobrança. Então vale pesquisar e dar preferência a elas ao escolher um cartão de crédito. Afinal, eliminar essa tarifa representará um gasto a menos para você.

Mas se você já tem um cartão de crédito e a instituição financeira cobra anuidade, entre em contato com ela e busque uma forma de zerá-la. Mesmo que a cobrança não seja tão elevada por mês, essa tarifa acaba influenciando no orçamento — ainda mais no acumulado de um ano.

Acompanhe programas de descontos, milhas e cashbacks

Como você conferiu até aqui, existem diversos cuidados importantes para se ter ao usar o cartão de crédito no seu dia a dia. Além deles, é válido entender um aspecto interessante que esse meio de pagamento pode oferecer: os programas de descontos, milhas e cashbacks.

Esses e outros benefícios ou recompensas são oferecidos por diversos cartões de crédito disponíveis no mercado. Com isso, quem usa esse meio de pagamento pode aproveitar suas vantagens.

Por meio desses programas, você pode, por exemplo, trocar pontos por produtos ou serviços, comprar passagens áreas, recuperar parte da quantia gasta durante o mês e muito mais. Então, mais que considerar as dicas e orientações anteriores, procure acompanhar e aproveitar esses benefícios.

Tenha uma reserva de emergência

Ao seguir as dicas apresentadas até aqui, você conseguirá usar e administrar o seu cartão de crédito de uma forma muito mais adequada e eficiente. No entanto, isso não quer dizer que nunca haverá problemas com ele. Lembre-se de que imprevistos podem acontecer a qualquer momento.

Nesse contexto, um ponto que você deve considerar é montar a sua reserva de emergência, caso ainda não tenha. Essa reserva, como o próprio nome já diz, serve para ser utilizada em urgências e situações inesperadas, como a perda de um emprego.

Se um problema como esse acontecer e você não tiver uma reserva, possivelmente enfrentará diversas dificuldades financeiras. Inclusive, para pagar as suas contas e manter a fatura do seu cartão em dia, como você viu.

Por isso, todos os meses, separe uma parte da sua renda para construir a sua reserva de emergência. Ela deve corresponder a, pelo menos, seis meses do seu custo de vida mensal.

Então, se você gasta, por exemplo, R$ 5.000 por mês, a sua reserva deve ser de, no mínimo, R$ 30 mil. Assim, em caso de uma eventualidade, você não ficará sem dinheiro e poderá se manter por até seis meses, até a situação melhorar e se normalizar.

O ideal, além de poupar todo mês uma parte do seu salário para montar a sua reserva, é investir essa quantia. Desse modo, ela pode render e aumentar com o passar do tempo, reduzindo os impactos da inflação sobre o valor.

Para esse objetivo, você pode investir o seu dinheiro em uma alternativa segura e com alta liquidez. Entre as possibilidades, estão o Tesouro Selic e o CDB (certificado de depósito bancário) com liquidez diária.

Conclusão

Neste post, você conferiu quais são os principais cuidados referentes a como usar o cartão de crédito corretamente. Por isso, daqui em diante, não deixe de colocá-los em prática para utilizar esse meio de pagamento com segurança, responsabilidade e sabedoria, combinado?

Quer aprender mais? Confira este artigo sobre educação financeira e veja como esse tipo de conhecimento poderá ajudá-lo a viver de forma mais segura e equilibrada!

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
Campanha Institucional - Ativação - Abra sua conta

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!