Os investimentos devem estar sempre alinhados aos seus objetivos financeiros — de curto, médio e longo prazo. Entre as possibilidades, é possível pensar em estratégias que ajudem na tarefa de como investir para comprar uma casa. 

Essa é uma decisão que costuma ser importante para o patrimônio pessoal e que, por isso, exige bastante planejamento. Com a escolha das aplicações financeiras alinhadas com tal interesse, as suas chances de realizar esse sonho da forma esperada aumentam. 

Foi pensando nisso que nós, da Genial Investimentos, preparamos as informações mais relevantes sobre como comprar um imóvel com ajuda dos investimentos. Confira! 

Entenda melhor o seu objetivo 

Para começar a tomar decisões sobre os investimentos é preciso, em primeiro lugar, entender o que espera alcançar ao alocar seu dinheiro em produtos do mercado financeiro. Já está claro que você deseja comprar uma casa, mas é necessário se aprofundar. 

Pense, por exemplo, sobre o prazo. Há quem deseje adquirir o imóvel em 5 anos e quem esteja disposto a esperar 20 anos. Refletir sobre isso é importante para fazer o tempo disponível trabalhar a seu favor. 

Também é preciso pensar em outras características. Saber como investir para comprar a primeira casa é diferente de fazê-lo para adquirir um imóvel de férias, por exemplo. 

Além de tudo, você deve entender se deseja buscar um financiamento, juntar recursos que sejam suficientes para uma entrada ou mesmo poupar todo o valor para comprar à vista. Sabendo de tudo isso, há como montar um planejamento financeiro condizente. 

Conheça seu perfil de investidor 

O processo de como investir para comprar a casa também exige identificar seu perfil de investidor. Ele serve para indicar a sua tolerância ao risco, o que ajuda a selecionar as alternativas de investimento. 

Em relação à classificação do investidor, são 3 as possibilidades. Veja quais são elas: 

  • conservador: é o investidor que prioriza a segurança e que tem uma baixa tolerância ao risco; 
  • moderado: é o investidor que está disposto a correr um pouco mais de riscos para aumentar as chances de ganhos; 
  • arrojado ou agressivo: é o investidor que tem o maior nível de tolerância ao risco e que deseja melhorar a rentabilização da carteira. 

Depois de encontrar em qual tipo você se encaixa, é hora de unir tais características aos objetivos financeiros. Se você não tiver tolerância ao risco, poderá escolher investimentos seguros e de curto prazo, que têm maior liquidez.  

Já se tiver um pouco mais de tolerância e focar no médio e longo prazo pode recorrer a investimentos diferentes. Alguns apresentam maior potencial de retorno, pois são acompanhados de maiores riscos. 

Explore as alternativas do mercado 

Após conhecer suas características, como tolerância ao risco e objetivos financeiros, é o momento de se aprofundar no que está disponível no mercado. Há investimentos de renda fixa e de renda variável, então todos os perfis podem ser contemplados. 

Na sequência, veja quais são algumas escolhas que podem fazer parte da sua carteira de investimento! 

Títulos Públicos 

Os Títulos Públicos do Tesouro Nacional permitem que você empreste dinheiro ao Governo e receba juros com diferentes modelos de rentabilidade. Há, por exemplo, o Tesouro Selic. Ele é pós-fixado e varia com a taxa básica de juros da economia. 

Ele costuma se adequar bem a objetivos de curto prazo, pois apresenta liquidez alta. Na verdade, todos os títulos da plataforma do Tesouro Direto têm liquidez diária, mas os demais apresentam possibilidade de perda por conta da marcação a mercado. 

Para quem não precisa de tanta liquidez e pretende deixar a quantia investida em médio e longo prazo, há também o Tesouro IPCA+. Ele tem rentabilidade híbrida, composta por uma taxa fixa e pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a taxa oficial de inflação brasileira. 

Com essa escolha, você garante o poder de compra e ainda obtém uma rentabilidade que ajuda na acumulação dos juros compostos ao longo dos anos. Por fim, há possibilidade do Tesouro Prefixado, que apresenta uma taxa fixa desde o início. 

Ações 

Se você tiver um pouco mais de apetite ao risco, o investimento em ações pode ajudá-lo a conquistar a casa dos seus sonhos. O aporte dá a chance de participar dos resultados de empresas de diversos tamanhos e setores, as quais são negociadas na bolsa de valores. 

Em termos de ganhos, é possível conquistá-los de duas formas. Uma é com a valorização ao vender as ações por um preço superior ao valor de compra. Também é possível receber participação nos lucros, como por meio dos dividendos.  

Contudo, é importante ter em mente que, normalmente, o investimento em ações visa o longo prazo. 

Fundos de investimentos 

Entre as possibilidades para alocar capital visando a compra de um imóvel, você pode considerar, ainda, os fundos de investimentos. Existem tipos diferentes, tanto de renda fixa quanto de renda variável, como: 

Também há os fundos multimercado, que têm estratégia diversificada e podem investir, simultaneamente, na renda fixa e na renda variável. 

Os fundos de diversos tipos funcionam com base na aquisição de cotas por parte dos investidores. O portfólio do fundo é movimentado por um gestor profissional, que aloca os valores de acordo com a estratégia definida. 

Pode ser uma forma de ter acesso a ativos interessantes sem alocação de alto capital. Eles também trazem praticidade, por não ser necessário tomar as decisões de investimento. Dependendo do seu perfil, é possível selecionar os tipos para facilitar o alcance de objetivos. 

Contudo, mais uma vez, é preciso avaliar os prazos. Afinal, há alternativas de maior risco que, normalmente, exigem um prazo de maturação maior. 

Cuide do planejamento e diversifique a carteira 

Por fim, um passo essencial para saber como investir para comprar sua casa é fazer com que seja viável continuar investindo ao longo do tempo. Logo, é crucial manter o planejamento financeiro em dia.  

Ajuste custos e separe recursos para investir com frequência, pois isso pode encurtar o caminho entre você e seus objetivos. Além do mais, é interessante diversificar a carteira de investimento. Essa é uma decisão que equilibra perdas, diminui os riscos e até aumenta o potencial de ganhos. 

Agora você sabe que entender como investir para comprar uma casa exige, primeiramente, conhecer seu perfil e o prazo do seu objetivo. A partir disso, é possível compor sua carteira de forma estratégica e que o aproxime das chaves do seu novo imóvel. 

Quer conferir outras dicas do mercado financeiro e de investimentos? Venha conosco, da Genial Investimentos, no Facebook, no Twitter e no Instagram

Comentários