Conteúdo atualizado em 24 de novembro de 2023 às 17:32 por Genial Investimentos.

Se você está procurando uma forma segura para manter o seu dinheiro e obter alguma rentabilidade, precisa conhecer as possibilidades do mercado financeiro. Como essa é uma aplicação muito popular entre os brasileiros, é válido saber quanto rende R$ 100 mil na poupança em 2023.

O montante mantido na aplicação terá uma remuneração dentro das regras estipuladas para essa alternativa. Assim, após determinado período será possível resgatar a quantia com alguns acréscimos. Contudo, essa opção pode não ser a mais vantajosa, sabia?

Neste artigo, você entenderá mais sobre o funcionamento da caderneta de poupança, quanto o seu dinheiro renderá nela e quais alternativas podem oferecer mais vantagens.

Acompanhe!

O que é a caderneta de poupança?

A caderneta de poupança ou a conta poupança é um tipo de conta bancária com foco em manter o dinheiro aplicado. Desse modo, ela consiste em um estímulo para as pessoas pouparem dinheiro, o que justifica o seu nome.

Ela é simples de ser utilizada, podendo ser acessada por qualquer pessoa com um CPF. Além disso, o resgate é facilitado, pois ele é feito nas agências bancárias por todo o Brasil. No geral, o processo de investir e resgatar é prático e conta com pouca burocracia.

A poupança é regulamentada pelo Banco Central do Brasil (Bacen) e aceita depósitos de qualquer valor. Esses são fatores que fazem dela uma alternativa tão buscada entre as pessoas que desejam guardar o dinheiro e acumular um patrimônio.

Como funciona a rentabilidade da poupança?

Para entender o desempenho que o seu dinheiro terá na poupança, é necessário saber como funciona a rentabilidade dessa aplicação. Um ponto relevante sobre ela é que a rentabilidade segue as mesmas regras em todos os bancos.

Portanto, independentemente de onde a conta for aberta, o resultado será igual. Ela também tem rendimentos na data de depósito, no chamado “dia de aniversário”, a partir da data do depósito. Desse modo, se o saque ocorrer antes da data, você não obterá rendimentos.

As regras para a rentabilidade da caderneta foram modificadas em maio de 2012, assumindo uma nova lógica. O desempenho acompanha a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira. Esse indicador é utilizado pelo Bacen como forma de manejar a inflação do país.

Além da Selic, a caderneta de poupança utiliza a Taxa Referencial (TR). Trata-se de um indexador baseado nas taxas de juros das Letras Financeiras do Tesouro Nacional (LTN). Ela é calculada diária e mensalmente pelo Bacen.

A rentabilidade dessa aplicação pode seguir duas regras, a depender do cenário econômico:

  • quando a Selic estiver acima de 8,5% no acumulado do ano, a rentabilidade mensal da poupança será de 0,5% + a TR;
  • quando a Selic estiver igual ou inferior a 8,5% ao ano, a rentabilidade mensal será de 70% da taxa de juros + a TR.

Desse modo, para saber quanto o dinheiro investido renderá na poupança, é necessário observar o cenário econômico, focando nos índices utilizados por essa alternativa. O cálculo para chegar ao resultado é o seguinte:

Rendimento da poupança = Quantia investida x Taxa mensal

Quanto rende 100 mil reais na poupança por mês?

Até aqui você já entendeu qual é a regra utilizada para realizar o cálculo do rendimento de um investimento na poupança, certo? Agora é o momento de aprender na prática quanto rende R$ 100 mil na poupança em 2023, considerando o desempenho mensal.

Como você viu, essa aplicação está atrelada à taxa Selic, logo, é necessário saber qual o seu valor para realizar a conta. A taxa básica de juros da economia brasileira iniciou o ano de 2023 em 13,75% ao ano. Esse resultado se manteve durante os sete primeiros meses do ano.

Em agosto, o Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu em sua reunião pela redução de 0,50 ponto percentual (p.p.)do índice, fazendo com que a taxa caísse para 13,25%. Em setembro de 2023 houve uma nova redução de 0,5 p.p., chegando a 12,75%, agora no mês de novembro 2023 ocorreu um novo ajuste chegando 12,25%.

Para o restante do ano, a Selic tem uma tendência de queda que pode se concretizar. Contudo, as chances de ela chegar a um percentual igual ou inferior a 8,5% em 2023 são pequenas. Nesse sentido, é possível considerar neste ano a regra de rentabilidade da poupança de 0,5% + a TR.

No começo de setembro, o rendimento seria de aproximadamente 0,67% ao mês. Aplicando a fórmula que você conheceu para descobrir o rendimento mensal da alternativa para um montante investido de R$ 100 mil, o resultado seria de aproximadamente R$ 670 ao mês.

Qual o rendimento de 100 mil na poupança por ano?

Como foi possível aprender, pela regra que a caderneta de poupança segue em 2023, a rentabilidade de R$ 100 mil em um mês seria de R$ 670. O cálculo anual tem algumas diferenças, pois ele também deve considerar os juros sobre juros, já que os rendimentos geram outros ganhos.

Assim, ao verificar quanto o dinheiro rende na poupança, supondo que a regra da remuneração fosse mantida por 12 meses e nenhuma movimentação fosse realizada na conta bancária, o acumulado seria de 8,41%. Nesse cenário, um investimento de R$ 100 mil geraria um total de R$ 8.380 de renda.

Calculadora (Poupança vs. CDB)

Afinal, vale a pena deixar dinheiro na poupança em 2023?

Diante das informações que você conferiu sobre a poupança, pode surgir a dúvida se vale a pena manter o dinheiro nessa alternativa em 2023. Para saber a resposta para essa questão, é necessário avaliar os prós e contras da aplicação.

Confira as vantagens e desvantagens da poupança!

Vantagens da poupança

Como foi possível aprender, a caderneta de poupança é um investimento popular no Brasil por ser acessível e simples de ser utilizado. Além disso, a segurança que a aplicação oferece chama a atenção de quem busca uma alternativa para poupar dinheiro.

Ela tem a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), que ressarce o investidor em caso de inadimplência do banco. Essa entidade tem cobertura de até R$ 250 mil por CPF e instituição, com teto global de R$ 1 milhão — quantia que se renova a cada 4 anos.

A facilidade de resgate também pode ser destacada como um ponto positivo da caderneta de poupança. Os saques ocorrem nas agências bancárias de forma simples, em horário de atendimento ou em caixas eletrônicos, a depender do valor do saque.

Ainda vale a pena mencionar que os rendimentos da poupança são isentos de impostos. O principal tributo que costuma ser cobrado em investimentos é o Imposto de Renda (IR), que consome parte da rentabilidade obtida.

Desvantagens da poupança

Apesar de ser uma alternativa popular e com vantagens, a poupança também tem desvantagens que devem ser observadas para decidir se vale a pena investir o seu dinheiro nela em 2023. O principal ponto de atenção é o seu baixo potencial de rentabilidade.

Você aprendeu que ela está atrelada à Selic, contudo, ela não remunera o total da taxa básica de juros, refletindo parte do indicador apenas quando está abaixo de 8,5%. O índice já chegou a 2% em 2020, o menor patamar histórico, gerando uma rentabilidade baixa para a aplicação.

Desse modo, mesmo em cenários de Selic alta, como vem ocorrendo em 2023, a poupança não consegue oferecer uma rentabilidade proporcional. Nesses casos aplica-se a regra da taxa fixa de 0,5%.

Conforme a situação econômica do país, a poupança pode ter uma rentabilidade inferior à inflação — medida principalmente pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Quando isso ocorre, em vez de fazer seu patrimônio aumentar, você perde dinheiro. Afinal, os juros obtidos não são capazes de preservar o poder de compra do seu dinheiro.

O fato de a rentabilidade ser contabilizada apenas a cada 30 dias é outra desvantagem da alternativa. Com essa regra você passa a depender do período estipulado para obter os rendimentos.

Onde investir além da poupança?

Agora que você já sabe como funciona a poupança, bem como as suas vantagens e desvantagens, é interessante conhecer outras possibilidades de investimentos. Mais que saber quanto rende a poupança em 2023, portanto, o ideal é buscar alternativas que ofereçam mais benefícios.

O mercado financeiro conta com muitas aplicações que podem atender melhor às suas necessidades e expectativas. Acompanhe!

1. Títulos do Tesouro Direto

Os títulos públicos do Governo Federal negociados na plataforma Tesouro Direto são alternativas seguras para quem quer ampliar o potencial de rentabilidade sem muita exposição a riscos. Eles são integralmente garantidos pelo Tesouro Nacional e apresentam risco soberano, sendo os investimentos mais seguros do país.

A rentabilidade desses títulos, assim como das demais aplicações de renda fixa, pode seguir diversas regras. Ela pode ser prefixada, rendendo a uma taxa fixa, ou pós-fixada, quando ela atrelada a um indicador de mercado, como a Selic. A remuneração também pode ser híbrida, quando segue um índice, como o IPCA, acrescido de uma taxa fixa.

A maior parte dos títulos do Tesouro Direto têm liquidez diária desde o aporte inicial, permitindo o resgate antes do vencimento. Ainda, há diferentes alternativas de títulos, que apresentam características distintas em prazos, aporte mínimo e rendimentos.

Cabe destacar que os rendimentos desse investimento são tributados pelo IR, seguindo a tabela regressiva. Isso significa que quanto mais tempo a aplicação for mantida menor será a alíquota, até o mínimo previsto. Veja as equivalências:

Fundos de longo prazo e aplicações de renda fixa, em geral:

Período da aplicaçãoAlíquota do IR
até 180 dias22,5%
de 181 a 360 dias20%
de 361 a 720 dias17,5%
720 dias em diante15%
Fonte: Receita Federal – IRPF (Imposto sobre a renda das pessoas físicas)

Também incide sobre a rentabilidade desses produtos o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Ele é cobrado apenas quando o resgate é feito antes de 30 dias, por uma alíquota regressiva que chega a zero no trigésimo dia.

2. CDBs

Entre os títulos privados de renda fixa estão os certificados de depósitos bancários (CDBs). Eles são emitidos por instituições bancárias e apresentam as mesmas regras de rentabilidade e tributação dos títulos públicos.

No entanto, os CDBs contam com a proteção do FGC, resguardando o investidor em caso de inadimplência do emissor.

3. LCIs e LCAs

Ainda, é válido destacar a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA). Essas são alternativas de títulos privados de renda fixa, com a particularidade de destinarem os recursos captados ao setor imobiliário e ao agronegócio, respectivamente.

De modo similar aos títulos do Tesouro Direto e CDBs, as letras de crédito podem ter a rentabilidade prefixada, pós-fixada ou híbrida. Também é possível encontrar produtos com diferentes prazos, carência e liquidez. As LCIs e LCAs têm a proteção do FGC.

Uma das vantagens desses investimentos é a isenção do IR para as pessoas físicas, o que pode proporcionar uma rentabilidade líquida mais elevada.

Como elaborar uma estratégia de investimento nessas alternativas?

Após entender mais sobre a poupança e conhecer outros investimentos disponíveis no mercado financeiro com características semelhantes, você deve saber como elaborar uma estratégia de sucesso.

Veja dicas!

1º Conheça o seu perfil de investidor

Qualquer investimento conta com riscos que devem ser considerados no momento da decisão. Para tornar as escolhas mais conscientes, existe um teste de perfil de investidor que verifica a sua tolerância a essa característica.

Os perfis podem ser conservador, moderado e arrojado. A verificação é feita na plataforma da corretora escolhida, levando à exibição das alternativas mais adequadas ao resultado do seu teste.

2º Entenda os seus objetivos

Uma boa decisão nos investimentos é aquela que beneficia os seus objetivos. Portanto, para a sua estratégia ser bem-sucedida é fundamental saber quais são as suas expectativas no mercado financeiro.

Com esse elemento em mente, você terá mais condições de avaliar as possibilidades e entender quais são as oportunidades que mais o aproximam dos seus objetivos financeiros.

3º Considere a diversificação

Como foi possível aprender, o mercado financeiro tem muitas opções de investimentos com características distintas. Nesse cenário, você não precisa se ater a apenas uma delas. A diversificação é uma estratégia eficaz para equilibrar os riscos da carteira e ampliar o potencial de rentabilidade.

Desse modo, os seus resultados não dependerão de apenas uma condição. Mas para obter êxito nessa prática é necessário estudar as alternativas e escolher de maneira racional, conforme as suas características.

Com as informações que você conferiu neste artigo foi possível descobrir quanto rende R$ 100 mil na poupança em 2023. A partir desse conhecimento, você pode avaliar se vale a pena manter o dinheiro nessa aplicação ou se existem outras formas mais interessantes de investir.

Que tal contar com o suporte da melhor corretora na hora de fazer seus investimentos? Contate nossa equipe, temos profissionais preparados para ajudar você!

Genial Investimentos - Abra sua conta

Genial Investimentos

Somos uma plataforma de investimentos que tem como objetivo facilitar o acesso ao mercado financeiro e ampliar a educação financeira no Brasil.

Ver todos os artigos
E-book de Renda Fixa

Navegação rápida

O link do artigo foi copiado!