CDB 220% do CDI com liquidez diária.

Conteúdo atualizado em 02 de março de 2022 às 16:20 por Genial Investimentos.

A renda fixa é uma classe de investimentos que proporciona segurança e previsibilidade. Isso porque as condições são combinadas previamente. Nesse sentido, ao fazer o aporte o investidor já sabe como será a rentabilidade daquela alternativa.

No entanto, isso também traz uma limitação de ganhos. Por esse motivo, é comum querer saber como potencializar a rentabilidade nessa classe. Isso é possível reduzindo os custos por meio da taxa da renda fixa ou voltando-se para investimentos menos conservadores.

A seguir você conhecerá formas de reduzir os custos e a taxa da renda fixa e alternativas para potencializar a rentabilidade. Acompanhe!

Como decidir por uma estratégia de investimentos?

Para decidir uma estratégia de investimentos, seja ela na renda fixa ou na variável, é preciso considerar seu perfil e objetivos financeiros. São essas características que devem pautar as decisões e a alocação da carteira.

Optar por investimentos mais arrojados ou buscar apenas reduzir taxas da renda fixa é uma decisão totalmente pessoal. Então é preciso saber se você tem resistência aos investimentos mais arriscados e se eles são realmente adequados para seus objetivos, por exemplo.

Para pessoas conservadoras, pode valer a pena tentar baratear a taxa na renda fixa para buscar maiores ganhos. Aplicações conservadoras isentas de custos ou que cobram taxas baixas tendem a ganhar da caderneta de poupança, mesmo quando ocorre a cobrança de Imposto de Renda.

Alternativas para ganhar mais com a renda fixa

Depois de entender a sua estratégia, você deve conhecer as alternativas para ganhar mais com a renda fixa. Lembre-se de que as informações a seguir não são indicações de investimento. Elas têm apenas caráter educativo e cabe a você avaliar o que fazer.

Acompanhe algumas opções para reduzir a taxa da renda fixa!

1. Busque por fundos de renda fixa com taxas de administração menores

Uma alternativa para os aportes em renda fixa são os fundos de investimento voltados para essa classe. Eles funcionam como uma carteira coletiva, administrada por um gestor profissional. Quem deseja participar do fundo pode adquirir cotas, negociadas em corretoras.

No mercado, é possível encontrar diversos fundos. Por exemplo, os fundos DI focam em títulos mais seguros e oferecem liquidez diária. Logo, podem ser alternativas interessantes para pessoas mais conservadoras ou objetivos de curtíssimo prazo.

Além dos fundos DI, também existem opções que focam em títulos da renda fixa privada, buscando ganhos maiores. Mas, para avaliar possibilidades com custos mais baixos e potencial de ganhos maior, considere a taxa de administração cobrada pelo gestor.

2. Conte com uma corretora que não cobre taxa de custódia

Se você deseja investir em títulos públicos ou aplicações de renda fixa privada precisará de uma corretora de valores. A instituição oferece o acesso às alternativas e permite aplicar o dinheiro e também realizar os resgates.

Muitas delas cobram uma taxa por esse serviço: a chamada taxa de agente de custódia ou corretagem. A cobrança pode se somar a outros custos, como a taxa de custódia obrigatória cobrada nos títulos do Tesouro Direto. Nesse caso, a bolsa de valores é paga pela guarda dos títulos.

Para reduzir a taxa na renda fixa, você pode contar com corretoras que não cobram a custódia — como a Genial. Assim, só precisa pagar a taxa de custódia obrigatória, o que deixa o investimento mais barato e ajuda a aumentar a rentabilidade líquida.

Saiba Mais:

3. Procure títulos públicos no mercado secundário

Quem deseja investir em aplicações do Tesouro Direto pode fazer isso por conta própria e com facilidade. Basta fazer login na plataforma do Tesouro ou no sistema da corretora de valores e negociar os títulos que quiser.

No entanto, quem busca alternativas diferenciadas pode ligar para a mesa de operações da sua corretora de investimentos e investir em títulos públicos no mercado secundário. Eles são os mesmos títulos do Tesouro Direto, mas negociados entre investidores.

Na Genial, o investidor que opta por essa via fica isento não só da taxa da corretora, mas também da taxa de custódia obrigatória da bolsa de valores. Portanto, o investimento não apresenta custos operacionais, sendo sujeito apenas ao Imposto de Renda (IR).

Isso acontece porque seus títulos não ficam custodiados na bolsa, mas na Selic, o Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Aqui a conta é destinada aos clientes da corretora e segregada da conta da própria instituição.

4. Avalie os títulos de renda fixa privada

O investimento em títulos de renda fixa emitidos por bancos e empresas geralmente não sofrem a cobrança da taxa de custódia apresentada no Tesouro Direto. Assim, na Genial, o investidor fica isento de qualquer taxa na renda fixa privada, pagando apenas impostos, quando for o caso.

Logo, se você busca ganhar mais, é possível avaliar as letras de crédito imobiliário e do agronegócio (LCI e LCA) e os certificados de depósito bancário (CDBs). Além disso, há alternativas como as debêntures e os certificados de recebíveis (CRA).

Na Genial você consegue encontrar um ótimo portfólio de renda fixa. Com isso, há diversas alternativas para escolher entre prazos, liquidez e rentabilidades diferentes em títulos de renda fixa — mesmo para aportes mais baixos.

5. Foque no longo prazo

Se você quer reduzir taxas e buscar maior rentabilidade, também é importante pensar no prazo das aplicações. Isso porque, nas alternativas tributadas, as alíquotas de IR diminuem com o tempo. Quanto maior o prazo da aplicação, menos o investidor paga de imposto.

Investimentos de até seis meses estão sujeitos a uma alíquota de 22,5% de Imposto de Renda. Mas quem mantém um investimento por mais de dois anos paga apenas 15%, conforme a tabela regressiva da renda fixa.

Dessa maneira, sempre que possível e de acordo com seus objetivos, invista considerando prazos maiores. Procure permanecer o maior tempo possível em cada aplicação financeira, de modo a pagar menos taxas e tributos.

Ainda, resgates inferiores a 30 dias, muitas vezes, estão sujeitos também ao IOF, além do Imposto de Renda. Vale destacar que existem títulos isentos de imposto — como LCI, LCA, CRI, CRA e debêntures incentivadas.

Entendeu como funciona a taxa da renda fixa e como aumentar os seus ganhos nessa classe? Com as informações que viu aqui, pode ser mais fácil avaliar alternativas e pensar na melhor estratégia para a sua carteira de investimentos!

Quer contar com a Genial para intermediar seus investimentos com menores custos? Então abra a sua conta agora!

Comentários