Com a taxa básica de juros tão baixa, ficou mais difícil obter a rentabilidade de 1% ao mês que o brasileiro tanto adora. Num cenário como esse, o investidor tem duas alternativas: buscar aplicações menos conservadoras ou até mesmo arrojadas, com maior potencial de rendimentos; e reduzir os custos com taxas na renda fixa mais conservadora.

O ideal é combinar as duas estratégias, diversificando os investimentos. Muitos investidores encaram queda de juros como um desastre para suas aplicações, mas a verdade é que muitas oportunidades interessantes se abrem nesse cenário.

Mas para quem é ultraconservador e só se mantém nas aplicações financeiras tradicionais, a saída é mesmo tentar reduzir a cobrança de taxas na renda fixa. Estas sacrificam parte da rentabilidade, então custos menores se traduzem em ganhos maiores.

Aplicações conservadoras isentas de custos ou que cobram taxas baixas ainda tendem a ganhar da caderneta de poupança, mesmo quando ocorre a cobrança de imposto de renda. Assim, vale a pena tentar baratear as taxas na renda fixa.

Invista em fundos de renda fixa com baixas taxas de administração

Os fundos de renda fixa conservadora, como os fundos DI, são ótimos substitutos para a caderneta de poupança. São capazes de render mais e têm liquidez diária, sendo ideais para manter os recursos de fluxo de caixa do investidor.

Por serem fundos de baixíssimo risco, podem receber as reservas de emergência ou aquelas voltadas para objetivos de curto prazo. Mas para manterem a atratividade frente à poupança, precisam ter taxa de administração de até 1,0% ao ano.

Dificilmente você encontrará fundos com taxas de administração tão baixas em grandes bancos. Mas aqui na GENIAL temos diversas opções. Um dos nossos fundos já foi, inclusive, premiado.

Invista no Tesouro Direto por uma corretora que não cobre taxa de agente de custódia

O investimento em títulos públicos é muito interessante para investidores de todos os portes e perfis, do mais conservador ao mais arrojado. Mesmo com as quedas na taxa de juros, o investimento se mantém atrativo frente à poupança. Trata-se da aplicação com o menor risco da nossa economia.

Para investir em títulos públicos pelo Tesouro Direto, plataforma on-line de negociação de títulos do Tesouro Nacional, é necessária a intermediação de uma corretora de valores. Muitas delas cobram uma taxa de administração por esse serviço, a chamada taxa de agente de custódia.

Essa cobrança se soma à taxa de custódia obrigatória de 0,3% ao ano, paga à bolsa de valores pela guarda dos títulos.

Mas algumas corretoras, como a GENIAL, não cobram taxa de administração para o cliente investir no Tesouro Direto. Assim, o investidor só precisa pagar a taxa de custódia obrigatória, o que deixa o investimento bem mais barato.

Invista em títulos públicos no mercado secundário

O Tesouro Direto é uma boa alternativa para o investidor que gosta de operar por conta própria, pois basta fazer login na plataforma do Tesouro e negociar os títulos que quiser, a praticamente qualquer hora.

Mas quem tiver mais recursos e não se importar em ligar para a mesa de operações da sua corretora de investimentos pode investir em títulos públicos no mercado secundário.

Aqui na GENIAL, o investidor que opta por esta via fica isento não só da taxa de administração, como também da taxa de custódia de 0,3% ao ano.

Assim, o investimento fica completamente isento de custos, snedo sujeito apenas ao imposto de renda.

Isso porque seus títulos não ficam custodiados na bolsa, mas no Selic, o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, numa conta destinada aos clientes da corretora e segregada da conta da própria corretora.

Saiba mais sobre o investimento em títulos públicos no mercado secundário.

Invista em títulos de renda fixa privada

O investimento em títulos de renda fixa emitidos por bancos e empresas geralmente não sofre a cobrança de taxas de administração. Ao menos na GENIAL, o investidor fica isento de taxas na renda fixa privada, pagando apenas impostos, quando for o caso.

Investimentos como CDB, LCI, LCA, CRI, CRA e debêntures podem render bem mais que a poupança. CDB, LCI e LCA são, inclusive, títulos bastante conservadores, que contam com proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), a mesma garantia da poupança.

Mas os títulos com remunerações mais interessantes dificilmente são oferecidos pelos grandes bancos, onde o cliente também precisa de muito dinheiro para ter acesso às melhores remunerações.

Em corretoras como a GENIAL você consegue obter boas rentabilidades em títulos de renda fixa mesmo para aportes mais baixos.

Além disso, alguns títulos de renda fixa privada são isentos até mesmo de imposto de renda, o que barateia ainda mais a aplicação. É o caso das LCI, LCA, CRI, CRA e debêntures incentivadas.

Invista com vistas a prazos maiores

Nas aplicações tributadas, as alíquotas de imposto de renda diminuem com o tempo. Quanto maior o prazo da aplicação, menos o investidor paga de imposto de renda.

Assim, sempre que possível, invista com vistas a prazos maiores. Procure permanecer o maior tempo possível em cada aplicação financeira, de modo a pagar menos imposto de renda.

Investimentos de até seis meses estão sujeitos a uma alíquota de 22,5% de imposto de renda. Mas quem fica num investimento por mais de dois anos paga apenas 15%.

Aplicações inferiores a 30 dias muitas vezes estão sujeitas também ao IOF, além do imposto de renda.

Precisa de ajuda para investir melhor o seu dinheiro? Veja como a GENIAL pode ajudar você!

Publicado por Genial

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Contentários