Por que os fundos de investimentos imobiliários (FII) estiveram entre os melhores investimentos de 2019, com valorização acumulada de quase 36%, e seguem em alta em 2020? Na visão de especialistas do mercado de investimentos, os fundos imobiliários são uma excelente oportunidade para quem quer começar a investir no mercado de imóveis brasileiro.

Os fundos (FII) podem ser constituídos por imóveis corporativos (modelo mais comum no Brasil) de um mesmo grupo, como um fundo de shopping centers ou de lajes corporativas, ou podem ser formados por um conjunto mais diversificado de propriedades. Os FIIs podem investir ainda em outros ativos relacionados ao mercado imobiliário.

Diferentemente da compra direta de uma propriedade, em que há entraves burocráticos e incidência de tributos, a aquisição de cotas em fundos imobiliários permite o investimento em um portfólio de imóveis de alto padrão, com aporte inicial drasticamente menor.

A diversificação dos investimentos

Certamente, você já ouviu a frase “não coloque todos os ovos na mesma cesta”. Portanto, se você quer seguir a recomendação de especialistas no assunto, é importante estar atento às boas oportunidades, como os FIIs, para garantir a diversificação da sua carteira de investimentos.

No Brasil, há atualmente mais de 266 fundos imobiliários registrados na B3. Grande parte dos investidores em FIIs são pessoas físicas. Isso porque uma das principais vantagens dos fundos de investimento imobiliário é a isenção de imposto de renda sobre a distribuição dos rendimentos.

Como são negociados em Bolsa, os fundos imobiliários têm grande liquidez, o que torna a venda desses ativos mais simples e dinâmica que a de um imóvel.

Na análise do gestor da Genial Investimentos, Alexandre Donini, 2019 foi um ano de valorização geral para os FIIs e, em 2020, a tendência é de movimento positivo, pois os melhores ativos devem se diferenciar no mercado. (vídeo abaixo)

Quer saber mais sobre o que são os fundos de investimento imobiliário, como funcionam, como obtêm rentabilidade e as suas principais características? A Genial ajuda você!

O que são fundos de investimento imobiliário?

Os fundos de investimento imobiliário (FII) descomplicam o sonho de investir no mercado imobiliário, pois oferecem os benefícios de ter um imóvel, como receber pelo pagamento de aluguéis, sem a burocracia e os custos envolvidos na compra de uma propriedade. Além disso, o investimento inicial mínimo é muito menor do que para comprar um imóvel.

Assim como outros tipos de fundos (entenda as diferenças), os imobiliários são formados por um conjunto de pessoas que aplicam seus recursos em um determinado tipo de ativo. Neste caso, imóveis e/ou ativos financeiros relacionados a este mercado.

Os fundos de investimento imobiliário podem atuar na compra de imóveis já finalizados, como galpões logísticos, lajes corporativas, shopping centers, hospitais etc., ou no aporte financeiro para o desenvolvimento de novos empreendimentos.

A remuneração aos participantes dos fundos pode acontecer de forma periódica, sem a cobrança de imposto de renda para pessoas físicas, por meio do lucro de aluguéis ou do pagamento de juros de papéis, ou pela valorização e venda das propriedades que compõem o fundo imobiliário. Porém, em caso de venda da cota com lucros existe a taxação do Imposto de Renda.

Há ainda diferentes tipos de fundos imobiliários. Uma das modalidades mais comuns, o fundo de tijolo, é caracterizado pela alocação dos recursos dos investidores na compra de imóveis. Já quando o investimento é feito em títulos de renda fixa com lastro (garantia) em imóveis, é denominado fundo de papel.

No fundo de tijolo, o investimento é realizado pelo gestor do fundo, que é responsável pela compra, pela venda ou pelo desenvolvimento de imóveis, normalmente, empreendimentos corporativos, como hotéis, galpões industriais, hospitais, lajes, instituições de ensino, shopping centers etc.

Já na modalidade fundo de papel, os aportes são feitos em ativos, como títulos de dívida para o financiamento de empreendimentos imobiliários, Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI).

ebook fundos imobiliários

Como obter rentabilidade com fundos imobiliários?

Uma das principais fontes de rentabilidade dos fundos imobiliários é o pagamento de aluguéis, que são distribuídos aos cotistas do fundo conforme a porcentagem de suas participações, mas os FIIs também têm outras formas de gerar caixa.

O investimento em fundos de fundos (FOFs – na sigla em inglês) também é uma fonte de rentabilidade. Nessa modalidade, são adquiridas cotas de outro fundo de investimento imobiliário, com o objetivo de diversificar o portfólio de imóveis com a menor burocracia possível.

O desenvolvimento, a incorporação e a construção de novos imóveis para venda no futuro também é uma das fontes de renda dos fundos. Neste caso, a rentabilidade é fruto do lucro decorrente da valorização e da venda da propriedade. Já os títulos vinculados ao mercado imobiliário, LCIs e CRIs, podem gerar retorno mensal na forma de juros.

Nas LCIs, por exemplo, as instituições financeiras irão pagar ao investidor uma taxa (juros) por usarem seus recursos para financiar os imóveis. Esses juros podem ser prefixados ou pós-fixados; no primeiro caso, o investidor sabe exatamente qual será o seu rendimento, no segundo caso, não.

Assim como nas LCIs, nos CRIs os investidores destinam seus recursos para o mercado imobiliário com o recebimento de juros futuros. No entanto, os CRIs podem ser emitidos apenas por securitizadoras de créditos imobiliários, e os aportes necessários para a participação são maiores.

Quanto custa e como comprar cotas de fundos imobiliários?

Não apenas a valorização dos FIIs foi positiva em 2019, o número de participantes nesses fundos também cresceu no último ano. Dados da B3 apontam que os fundos imobiliários ganharam 427 mil novos cotistas no período.

Com a chance de entrar no mercado de imóveis a custos baixos, sem burocracias e com alta liquidez, a tendência positiva deve continuar em 2020. Outro fator que colabora para este cenário é a baixa taxa de juros da economia, que impulsiona a migração de pessoas físicas para outros tipos de investimentos.

Muitos fundos imobiliários têm cotas iniciais negociadas a partir de R$ 100, e a aquisição dessas participações pode ser feita por meio de uma corretora, como a Genial Investimentos.

Na hora de escolher um fundo imobiliário é importante considerar quais são os seus objetivos com a aplicação, conhecer as características do fundo e analisar os riscos de cada operação.

Na Genial Investimentos, as equipes técnicas responsáveis pela gestão dos FIIs permitem que investidores, com diferentes níveis de experiência, negociem nos fundos imobiliários de forma segura e com riscos adequados a cada perfil.

Abra agora mesmo a sua conta gratuita na Genial e aproveite para diversificar a sua carteira de investimentos com os fundos imobiliários.

Abra sua conta na Genial Investimentos!

Publicado por Genial Investimentos

A Genial é a plataforma de investimentos que está democratizando o acesso aos melhores produtos do mercado, de forma simples, ágil e eficiente, através de uma assessoria financeira isenta, transparente e qualificada.

Comentários

  • […] cenário para os fundos imobiliários, todavia, ainda conta com fundamentos positivos, como a baixa taxa de juros do país, que incentiva […]

  • Boa noite, gostaria de maiores informações sobre investimento em fundos imobiliários. A partir de quanto investir e quanto recebe mensalmente?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *