O planejamento financeiro costuma ser um dos primeiros passos para quem quer colocar as finanças em dia. Isso vale tanto para pessoas quanto para empresas. Entretanto, nem sempre é fácil seguir o cronograma. Isso tem a ver com diversos fatores, mas o principal deles é, equivocadamente, definir metas distantes da realidade. Muitas vezes, mesmo com boas intenções, a pessoa acaba criando expectativas incompatíveis com sua rotina e não consegue cumprir o que planejou.

É por isso que vale a pena estar atento a alguns dos erros mais comuns na criação de um planejamento financeiro para que você não corra riscos na hora de montar o seu. Acompanhe a leitura!

1) Estimar incorretamente os gastos

Sabemos que é impossível prever o futuro e muitas vezes somos surpreendidos por eventualidades. Entretanto, algumas despesas podem e devem ser previamente identificadas. Errar essa análise pode fazer com que o planejamento financeiro simplesmente não funcione.

Neste caso, o ideal é jogar suas expectativas sobre as despesas para cima e sobre os ganhos para baixo. Fazendo isso, você se organiza financeiramente para o pior cenário possível. Caso os valores estejam errados, ao menos você conseguirá gerar uma sobra ao fim de cada mês.

2) Não diferenciar gastos fixos de variáveis

Caso você tenha que fazer cortes no seu orçamento, não será inteligente excluir gastos essenciais. Por isso, é preciso diferenciar as despesas fixas das variáveis.

Despesas fixas

São aquelas recorrentes, como o aluguel, o condomínio e a mensalidade da internet. Elas são chamadas de fixas porque não podem ser alteradas conforme o consumo aumenta ou diminui.

Despesas variáveis

São as que variam de acordo com o uso. É o caso da água, da gasolina e da energia elétrica. Elas são variáveis justamente porque caso você queira reduzi-las, basta consumir menos.

A importância de fazer essa classificação é poder contar com critérios para economizar, ou seja, havendo a necessidade de cortar gastos, uma saída é se concentrar nas despesas variáveis e reduzir o consumo antes de ter que eliminar despesas fixas.

3) Não definir objetivos

Um planejamento financeiro é útil para ajudar a economizar, mas ele se torna ainda mais relevante para a sua vida quando te auxilia a chegar onde você pretende. Para tanto, é preciso que metas sejam traçadas. Elas podem ser o pagamento de dívidas, a criação de um empreendimento próprio, entre outras.

Sem isso, você terá uma falsa sensação de que está no rumo certo e só perceberá que o planejamento não deu resultado quando mais adiante estiver estagnado financeiramente.

É fundamental que você crie objetivos. Assim, toda a sua movimentação financeira será feita em função deles. Pense em metas de curto, médio e longo prazo

4) Não aplicar o seu dinheiro

Definidos os seus objetivos financeiros, é preciso que você saiba o que fazer para alcançá-los. Assim, o ideal é estabelecer um prazo para tal e investir, pois, assim, a tendência é que o montante acumulado fique maior com o passar do tempo.

Quando a pessoa investe, ela cria mecanismos para lucrar mais gastando menos. Quando não investe, o dinheiro parado pode, inclusive, se desvalorizar devido à inflação.

5) Aplicar de maneira equivocada

Muitos pensam que basta colocar o dinheiro na poupança e pronto. Não é mais assim. Desde 2012, a poupança segue uma regra que faz dela uma alternativa menos eficiente frente a produtos como o Tesouro Selic, um dos ativos de renda fixa com a menor rentabilidade do mercado. Assim, se você não procurar outras formas de investir, dificilmente obterá os melhores resultados, mesmo tendo feito o planejamento financeiro.

A dica então é conhecer o mercado e investir de acordo com o seu perfil de investidor. Caso essa etapa da educação financeira seja ignorada, certamente ela cobrará o preço no futuro. Quer saber mais sobre o seu perfil? Assista o Genial Ensina especial sobre esse assunto.

E, se você quiser conhecer opções de investimentos melhores que a poupança, clique aqui.  

6) Não deixar espaço para revisões

Controlar é bom, mas nem sempre tudo sai conforme o desejado. Por isso, é importante reservar um espaço para reavaliações dentro do seu planejamento financeiro.

Isso pode ser feito de maneira bastante simples, desde que no planejamento você estabeleça o uso de relatórios que podem ser semanais, mensais ou trimestrais, nos quais serão reavaliadas as despesas, as reservas, as contas desnecessárias, entre outras. É importante que o seu programa seja flexível o bastante para que os processos sejam modificados em função desses resultados, visando sempre o cumprimento dos objetivos.

7) Não basear o planejamento financeiro em dados

É importante tomar como referência seus resultados reais, ainda que muitos tenham o costume de tentar adivinhar onde estão suas maiores despesas. Quando isso acontece, é natural que o planejamento dê errado. Imagine alguém que gasta bastante com entretenimento, assinando três ou quatro serviços de streaming, mas que acredita que o problema está nos preços do supermercado. Neste caso, é possível que a pessoa comece a economizar onde não precisa e acabe chegando a resultados insatisfatórios.

Para garantir o melhor planejamento possível, trabalhe com dados. Anote tudo que entra e sai do seu bolso por ao menos um mês para poder usar essas informações na construção do seu projeto. Recorra a softwares ou use uma planilha de papel mesmo. O importante é que sua organização seja criteriosa.

8) Ignorar a necessidade de criar reserva de emergência

De nada adianta criar uma série de objetivos financeiros sem pensar na segurança. É preciso pensar na formação de uma reserva de emergência para somente então ir em busca de outros propósitos. O motivo é muito simples: imagine perder o emprego de uma hora para outra. O que fazer para manter o que foi planejado?

Nesse sentido, o ideal é juntar um montante que corresponda ao período de seis meses a um ano do seu salário. Assim você terá como se sustentar e manter o seu planejamento enquanto procura uma recolocação profissional.

Além disso, caso você consiga manter sua estabilidade, a reserva será um ativo com o qual você pode sempre contar, algo que costuma fazer toda a diferença na vida de qualquer pessoa.

Enfim, ao longo desse post abordamos práticas que você precisa evitar para obter êxito no seu planejamento financeiro. Fique atento a cada gasto que você faz e se planeje para começar a prosperar financeiramente.

Quer saber mais sobre planejamento financeiro? Então confira nosso e-book Aprenda a fazer um planejamento financeiro, no qual explicamos o método mais eficiente para cuidar do seu dinheiro. 

A Genial Investimentos está à disposição para te ajudar nas suas decisões e fazer suas aplicações no mercado financeiro. Entre em contato conosco!

abra sua conta

Leonardo é jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, com passagens por grandes veículos da imprensa brasileira, como TV Cultura, Veja e Estadão. Especializou-se em jornalismo econômico, com aprovação pela FGV, no curso de trainee promovido pelo Grupo Estado.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *