O sonho de muitos brasileiros é ter independência financeira — e é possível buscar esse objetivo no mercado financeiro. Contudo, nem todos sabem como investir na bolsa de valores sozinho. E, de fato, essa pode ser uma tarefa desafiadora. 

Mas não desanime, pois é possível desenvolver seu conhecimento. O ideal para quem está iniciando na bolsa de valores é procurar informações de qualidade e colocá-las em prática com mais segurança. Assim, aumentam as chances de conseguir o resultado esperado. 

Para auxiliar nessa jornada, nós, da Genial Investimentos, preparamos um artigo com os passos iniciais. Então continue a leitura e descubra como investir na bolsa sozinho! 

É possível investir na bolsa de valores sem nenhuma ajuda? 

No passado, os pregões eram realizados de forma presencial, sendo necessário contar com um operador de mercado. Ele era responsável pela realização da compra e venda de ações na bolsa de valores, por exemplo. 

O ambiente das bolsas nessa época era complexo, com pessoas gritando ordens para tentar fechar solicitações que recebiam por telefone de clientes. Com o tempo, a tecnologia substituiu essa prática. Em julho de 2009, os pregões passaram a ser eletrônicos. 

Hoje, não é preciso telefonar para um operador de mercado e fazer solicitações. Basta abrir conta em uma corretora de investimentos — como a Genial — e acessar o pregão por um dispositivo conectado à internet. 

Portanto, é sim possível investir na bolsa sem nenhuma ajuda. Hoje, o investidor tem total autonomia para fazer suas operações. Ainda assim, é possível contar com auxílio de suporte profissional ao investir – por meio da assessoria de investimentos, por exemplo.  

O que você precisa saber antes de investir? 

O primeiro passo para quem deseja começar no universo do mercado financeiro sozinho é traçar objetivos. Embora a maioria dos investidores tenha a finalidade de ganhar dinheiro, é preciso pensar em quais são as suas metas financeiras. 

Também estabeleça com exatidão a quantidade de capital que será aportada no investimento. Calcule, ainda, o retorno esperado e o tempo que está disposto a esperar para atingir esse objetivo. Será um investimento de curto, médio ou longo prazo

Na bolsa de valores, é comum que os investimentos estejam mais alinhados às metas de prazo maior. Afinal, o tempo tende a diluir os riscos das oscilações de curto prazo dos ativos. 

Além disso, o investidor deve identificar qual é a sua tolerância aos riscos. De modo prático os perfis são classificados como: conservador, moderado ou arrojado/agressivo.  

Normalmente quem busca a bolsa de valores possui um perfil de investidor moderado ou arrojado. Ou seja, está mais disposto a correr riscos e enfrentar volatilidade em busca de potencial de ganhos.  

Feita essa análise, você estará mais preparado para definir estratégias e escolher quais são os investimentos adequados para o seu caso. 

Quais investimentos estão disponíveis na bolsa? 

Na bolsa de valores são negociados distintos tipos de ativos, que representam bens ou direitos e podem ser objeto de negociação.   

Veja os principais! 

Ações 

As ações são bastante conhecidas por investidores da renda variável. Elas representam uma pequena parte do capital social de uma empresa. Aquele que compra ações torna-se um acionista — que participa dos lucros e dos prejuízos da companhia.  

São classificadas em três tipos: 

  • ON (ação ordinária) – ações que garantem direito a voto nas assembleias da companhia; 
  • PN (ação preferencial) – ações que garantem a preferência no recebimento de dividendos; 
  • Units – são grupos de ações ON e PN, para que o investidor não precise comprá-las individualmente; 

Fundo de investimento imobiliário (FII) 

Fundo de investimento imobiliário é uma modalidade coletiva que, por meio de um gestor, investe em imóveis, títulos e certificados imobiliários ou em outros fundos. Ele compartilha entre os cotistas partes dos lucros obtidos com o portfólio.  

Também podem ser divididos em três tipos: 

  • Fundo de tijolo – investe na compra, venda ou aluguel de imóveis; 
  • Fundo de papel – investe em títulos e certificados imobiliários (LCI, CRI, etc); 
  • Fundo de fundos – investe em outros fundos imobiliários; 

Exchange traded funds (ETF) 

ETF ou fundo de índice é um tipo de fundo de investimento que objetiva replicar a performance de um índice de referência (benchmark). Caso o benchmark avance, as cotas do ETF se valorizam e os cotistas lucram. No cenário oposto, as cotas ficam mais baratas e suscetíveis a prejuízos. 

É possível investir em índices nacionais, estrangeiros e até em criptmoedas.  O índice mais conhecido no Brasil é o Ibovepa. Em relação ao mercado internacional, o índice S&P 500 (Standard & Poor’s 500) também pode ser acompanhado através de ETFs na bolsa brasileira B3. 

Brazilian depositary receipts (BDR) 

BDR ou certificado de depósito de valores mobiliários é um recibo lastreado em ativos negociados nas bolsas de valores estrangeiras. Com eles, é possível se expor a investimentos internacionais sem sair do país. 

Funciona da seguinte maneira: uma instituição depositária compra ativos internacionais e os coloca sob custódia. Com isso ela fica autorizada a emitir títulos, amparados nesses ativos, para negociá-los na bolsa de valores brasileira. 

O que é necessário para investir? 

Além dos investimentos apresentados, existem diversas outras possibilidades para quem deseja saber como investir na bolsa sozinho.  

O estudo e decisão de qual será mais adequado caberá ao próprio investidor — principalmente sob a proposta de investir por conta própria. Portanto reserve um tempo para estudá-los antes de aportar seu dinheiro. 

No passo a passo para investir sozinho, você precisará ter uma conta em uma corretora de investimentos de confiança, como a Genial. Na sequência é necessário transferir para essa conta o valor que pretende investir.  

Depois, você poderá acessar seu home broker — uma plataforma de investimentos digital com acesso ao ambiente de negociações da bolsa. O próximo passo é conhecer o ticker (código) do ativo que deseja negociar.  

Na B3 esses códigos são compostos, normalmente, por quatro letras seguida de uma numeração. Ações ordinárias da Petrobras, por exemplo, possuem o ticker PETR3, enquanto as ações preferencias possuem o código PETR4. 

Ao final, você precisará escolher a quantidade e o preço que está disposto a negociar e terá que enviar uma ordem de compra ou venda. Havendo algum interessado na negociação nos mesmos parâmetros, a ordem será executada pela B3. 

Percebeu como é fácil saber como investir na bolsa sozinho? Como você viu, a questão mais complexa envolvendo esse processo é saber escolher os investimentos. Mas, se o operacional trouxer dúvidas, você pode contar com ajuda da sua corretora ou assessoria de investimentos. 

Nós, da Genial, temos uma equipe pronta para dar todo o suporte necessário ao nosso cliente! Quer contar com nossa estrutura e ajuda para realizar seus investimentos? Abra já a sua conta conosco!

Comentários